Maitê Schneider como não veio ao mundo

A transexual curitibana Maitê Schneider, 34, apareceu nua no final da peça pernambucana ‘Ópera’ que participou do Festival de Teatro de Curitiba e mostrou seu novo corpo. As sessões realizadas nos dias 30 e 31 impressionaram os curitibanos. Tanto Maitê quanto o espetáculo.

Esta foi a primeira vez que Maitê mostrou publicamente o resultado da operação de adequação genital (mudança de sexo) ao qual se submeteu no fim do ano passado. Ainda em processo de adequação ao novo corpo, Maitê respondeu à pergunta indiscreta do editor Allan Johan quanto sua “nova” virgindade. Ela afirmou que continua imaculada, não apenas por opção, mas por recomendações médicas.

Com exclusividade, recebemos autorização da moça para publicar a foto tirada durante o espetáculo. Mas ela não fez o único nu do espetáculo, há um nu solidário durante a aparição da moça. Maitê apareceu no final, dublando uma canção no melhor estilo diva.

A montagem apresentou quatro atos que abordavam o tema da homossexualidade de forma muito criativa. A produção e a qualidade dos atores também foram perfeitas. Com patrocínio da prefeitura do Recife, o grupo Companhia Coletivo Angu de Teatro, trouxe até as suas camareiras, além de quase 800 quilos de equipamentos e cenários para as duas peças que apresentadas no festival. O texto é do premiado autor pernambucano Newton Moreno, vencedor do prêmio Shell em 2005.

O sucesso foi total, Angu de Sangue e Ópera, os dois espetáculos trazidos pelo grupo, foram sucesso de público e crítica. A trupe segue para o projeto Porto Alegre em Cena e apresentará o espetáculo Angu de Sangue, sem temática gay, na capital gaúcha. Uma pena, pois Ópera, com certeza, é forte concorrente ao título de melhor espetáculo GLS já produzido no Brasil.

Categoria: 




Comentários

Como sempre tanto as peças como a Maite arazammmmmmm TUDO!!!!

me orgulho muitissimo da minha irmã Maite que tanto amo, embora a distancia.

Como sempre tanto as peças como a Maite arazammmmmmm TUDO!!!!

me orgulho muitissimo da minha irmã Maite que tanto amo, embora a distancia.

Conteúdo relacionado