Cuidado, você está sendo filmado (fazendo sexo)

O vídeo do Klaus
Em 2005, uma mãe carioca denunciou ao Ministério Público que sua filha menor de idade havia sido vítima de um vídeo pornográfico que estava sendo divulgado pela internet. A notícia foi parar no programa Fantástico e o anônimo “vídeo do Klaus” ganhou notoriedade mundial.

Até hoje é possível encontrar o vídeo que virou piada na internet. As comunidades excluídas do Orkut voltaram a aparecer e oferecem novos links do vídeo aos internautas, informações sobre o paradeiros dos envolvidos e comentários diversos sobre o caso. Até uma versão ‘dublada’ com piadas corre a rede mundial de computadores.

No vídeo de pouco mais de oito minutos, um garoto adolescente de classe média alta do Rio de Janeiro aparece no quarto de seu primo tentando faturar a garota. Depois de seguidas tentativas frustradas, e ele acenar para a câmera enquanto ela não vê, eles desistem de transar. O vídeo havia sido gravado pelo garoto e seu primo, como prova de suas façanhas sexuais, sem o consentimento da menina. Vazou depois que algum amigo que o recebeu disponibilizou na rede.

Os garotos, na época com 17 anos de idade, foram indiciados e passaram uma noite em um centro de recuperação para menores infratores mas saíram após a concessão de um hábeas corpus. Dentro do computador apreendido na casa do primo, onde se passa a gravação, foi encontrado maconha. Outro vídeo do primo fazendo sexo com outra garota também foi achado durante a investigação.

A menina de 17 anos precisou mudar de escola e chegou vivenciar a experiência de seus colegas de turma do cursinho de informática assistirem ao vídeo em sua presença. Ela mudou de cidade, por causa do escândalo. Os meninos continuaram levando suas vidas de classe média alta e o processo foi arquivado. Há indícios de que um acordo foi firmado entre as partes.

Mais uma vez
Agora, outro vídeo, com o primo do rapaz circula pela internet. É o mesmo cenário e a mesma cena, o garoto gesticula para a câmera, no vídeo usado como troféu para os amigos. São três vídeos, todos parte de um original, onde ‘Vitinho’ transa com uma menina muito parecida com a que aparece no ‘vídeo do Klaus’. Isso foi suficiente para atribuírem participação da garota nos dois episódios. Desta vez, o rapaz consegue finalizar o coito.

Outros vídeos
Na internet, existem milhares de vídeos assim. São namorados que exibem suas conquistas, outras transas filmadas por fetiche, algumas divulgadas por traição, para embaraçar o parceiro. Existem até sites especializados.

Big Brother do sexo
Por isso, mais cuidado na hora da transa ou da intimidade, para não ser vítima de absurdos como esse. Não aceite bebidas abertas e não abuse do álcool e das drogas. Há histórias de pessoas que foram clicadas por câmeras do celular enquanto estavam “de costas”, não dê chances. Desconfie de transas que aparecem do nada, há homens e mulheres especializados em arrumar vítimas e eles as levam para transar e serem filmados. Desconfie de qualquer coisa fora do lugar, sempre escolha o motel e o quarto utilizados. Fique longe de webcams e armários cheios de entulhos. Apagar as luzes ajuda e impedir que câmeras comuns sejam usadas.

Golpistas do sexo
Além do Big Brother do sexo, que às vezes viram chantagens ou praga na internet, o Boa Noite Cinderela é um golpe bastante usado ainda. A vítima é drogada com soníferos e acorda mais de 24h depois, quando já foi roubada. Outro crime muito comum na internet é marcar um encontro na casa de uma pessoa e enquanto transam, um terceiro elemento assalta a carteira do visitante. Este, quando sai, não percebe que foi roubado. Para isso, deixe a sua carteira sempre a vista e não dê mole.

Tome cuidado sempre. Pois depois de acontecer, geralmente esses casos só rendem boas risadas, pois a maioria dos lesados não registram queixa, o que é um prato cheio para os assaltantes e atrapalha as investigações. Registre queixa, ou ao menos nos avise, para que possamos anunciar na comunidade o que se passa. E claro, não esqueça de usar camisinha.

Categoria: 




Conteúdo relacionado