Em um mundo qualquer

Em uma rua próxima a sua casa, Lucas, atravessa, calmamente, pela faixa de pedestres. Mas sua paz é interrompida por uma figura feminina. Ela se aproxima dele, rapidamente, e sem rodeios lhe rouba um beijo. Em plena rua só se ouve seu grito:

- Hei!

Mas ela desaparece pelos becos entre as lojas, na calçada. Não antes que o rapaz percebesse se tratar, na verdade, de um homem vestido de mulher. Sua cabeça rodou em pensamentos e ele vai para casa totalmente confuso. Ao chegar abre a porta e encontra seu companheiro estirado no sofá. O mesmo olha de relance para o rosto de Lucas e algo lhe chama a atenção

- Que batom é esse.
- Do que você ta falando?
- Disso – e o seu companheiro passou firmemente os dedos sobre os lábios de Lucas e lhe mostrou o batom vermelho que estava borrado sobre seus lábios.
- Caraca, ficou marca!
- Seu maldito... Então o plano foi quase perfeito é?
- Que plano?
- De me trair.
- Mas eu não te traí... Tá louco?
- Minhas amigas sempre me alertaram que namorar bissexual era furada, só servia pra aumentar a chance de levar chifre.
- Quanto preconceito... E o que esse batom tem a ver com o fato de eu ser bissexual? Por acaso você me deixou explicar o que aconteceu?
- Estou até com medo de saber... Mas vamos ver se você me fala a verdade...
- Eu estava atravessando a rua quando um cara, vestido de mulher me roubou um beijo, do nada.
- Nossa e inventou isso na lata! Caramba, me surpreendeu agora, quanta criatividade! Seu único erro foi achar que eu seria estúpido de acreditar nisso.
- Mas é a verdade!
- Qual é o nome dela?
- Ela quem?
- A racha com que você andou ficando, ou seria fincando!
- Eu não finq... fiquei com racha nenhuma!
- Você realmente me acha um idiota! Que decepção!

Os dois não mais se olham naquela noite. Lucas tem que dormir na sala, e o faz totalmente irritado. As horas não passam e a insônia o consome. Como poderia ele explicar algo tão surreal. Ao amanhecer, ele vai ao quarto despertar seu amado com um beijo.

- Bom dia!
- Bom dia, meu amor!
- Sinto muito pelo mal estar de ontem, eu fui um estúpido com você, nem quis acreditar no que me disse.

Enquanto os dois se entrelaçavam, a campainha disparou. Lucas foi atender e encontrou o grande amigo de seu companheiro. Jorge sorriu, entrou pela casa, e foi cumprimentar seu grande amigo. Já na sala os três papeavam sobre amenidades. Foi quando Jorge olhou para o seu amigo e com ar de surpreso lhe indagou.

- Achei que ia te encontrar arrasado hoje.
- Eu, arrasado? Por quê?
- Achei que vocês tivessem terminado tudo?
- Mas qual era o motivo de tanta certeza?
- Bom é que depois de ter visto o Lucas se agarrando no meio da rua com uma racha ontem, eu achei que vocês tivessem terminado!
- Se agarrando?
- Sim parecia até que estavam prontos para ir a um motel!
- Como você se explica Lucas? Não era um beijo roubado? Disse o companheiro cruzando pernas e braços irritadíssimo.
- De onde você tirou essa Jorge, aquela racha, digo, aquele cara vestido de mulher me atacou no meio da rua. Eu estava só atravessando a faixa!
- Nossa, Lucas, parecia mais com àqueles beijos de cinema.
- Pare de mentir, eu não tive culpa, fui atacado!
- Coitadinho de você Lucas, eu é que não agüento mais essa sua mentira!

O companheiro de Lucas sai totalmente afobado pela porta em direção a rua. Lucas tenta correr, mas Jorge o segura pelo braço.

- Fique Lucas, deixe essa bichinha pra lá!
- Do que você está falando Jorge?
- De nós!
- Nós?
- Sim, aquele beijo ontem foi o melhor beijo da minha vida!
- Sua bicha podre, eu deveria arrancar suas penas, sua maldita!

Lucas solta uma bofetada no rosto de Jorge e sai correndo pela porta gritando por seu companheiro. Jorge cai sentado no sofá, sem ação.

- Droga, deu errado de novo.

Jorge então saca de uma pequena agenda e risca um nome.

- Próximo da lista: Ricardo.




Comentários

Podre é a mentalidade de certas pessoas... Tenho lido todos os artigos/publicações e são todos interessantes...

Comentar

Conteúdo relacionado