Chá ou Solidão?

Hello people!! Mais uma vez uma questão veio a minha cabeça e me deparei com uma incógnita. Nós, gays, não temos muito do que reclamar, de certa forma a vida “alegre” na qual vivemos é cheia de surpresas. Tiramos sempre uma visão positiva por pior que possa parecer a situação. Mas o futuro ao qual nos reserva muitas surpresas é uma dúvida. Não sabemos o dia de amanhã e por mais que a gente pense que é cedo, o “cedo” uma hora chega e obrigatoriamente nos obrigamos a pensar na solidão em que um dia podemos viver.

Sempre tive uma vida maravilhosa, independente de tabus e barreiras enfrentadas, não tenho do que reclamar. Porém, hoje, aos 30, me pergunto o que será do meu futuro? Quer ver uma coisa... quando criança, nós gays, já temos que enfrentar inúmeras dificuldades para nos socializarmos. A época da escola é um verdadeiro martírio, ofensas pra cá, brigas pra lá, mas tudo bem, não vamos culpar as “crianças”, que são instruídas muitas vezes por pais mal informados. O preconceito vem de berço, então uma vez instruída a ser intolerante quanto às diferenças a criança só terá uma saída, seguir as orientações de seus pais.

Pois bem, se na infância é um dilema, na adolescência então piora. Nesta fase já temos o caráter definido, até porque eu particularmente acredito numa máxima, ou você nasce com caráter ou não. Não é algo que você possa construir durante o tempo, ou se tem ou não tem! Bom, com todos os argumentos já definidos é nesta fase que as coisas pioram, tudo porque quando adolescentes, não medimos nossas palavras, parece que se tivermos que “pisar” em alguém faremos aquilo pra doer lá no fundo. Eu mesmo já passei alguns sufocos por conta de minha sexualidade.

De qualquer forma, superada a fase da adolescência nos deparamos com a vida adulta, daí é que a história fica mais séria, porque pensamos por toda a vida em trabalhar, construir algo pra podermos desfrutar depois, na velhice. É aí que eu queria chegar... Me pergunto todos os dias, será que vou ficar velho e sozinho? Tenho uma certa dificuldade quanto esta questão, exatamente porque vejo que a “vida gay” é mais árdua do que a vida heterossexual , tudo por conta do que passamos, as dificuldades, o preconceito, enfim, por vários motivos “sofremos” mais e, por isso, fico pensando em ter alguém que esteja ao meu lado quando estiver mais velho. Muitas pessoas sonham com isso, ainda que alguma prefiram a vida de solteiro e de loucuras, tudo bem, eu respeito. Mas fico pensando naqueles que como eu sonham em ter um par perfeito (talvez nem exista), alguém para estar ao meu lado se algo me faltar.

Comentei em uma das minhas colunas a questão das festas, baladas, noite...realmente é muito legal termos amigos com quem sair, nos divertirmos, badalarmos, mas tudo passa, a idade chega e com ela as preocupações normais de alguém que cansou de festejar e pensa em levar uma vida mais regrada, mais séria. Novamente afirmo, não condeno aqui quem curta balada, festas e a vida de solteiro. Só acho que, assim como eu, devam existir muitas pessoas por aí que preferem uma vida a dois. Mas a questão não é só quanto ao nosso parceiro, mas sim quanto a amizades que carregamos por toda a vida. Sabe aquelas pessoas que realmente fazem a diferença em nossas vidas? Pois é, me refiro dos AMIGOS de verdade. Sei que os amigos que eu tive aos 20 já não me acompanham agora aos 30, e certamente se reduzirá ao chegar aos 40 e por aí vai, é um ciclo, faz parte das atribuições da vida. Claro que tenho amigos de infância, mas questiono exatamente isso, os pouquíssimos amigos que se pararmos para pensar não enchem uma mão. Amigos, colegas, conhecidos de boate, existem centenas, milhares... agora, amigos que te acompanhem até o fim da vida é muito raro de encontrar. Feliz de alguém que assim como eu tem amigos de verdade.

Renato Russo uma vez disse: “Digam o que quiserem dizer, mas a solidão é o mal do século”. E não estava errado. Em nossa luta diária pela sobrevivência não paramos para pensar o quão sozinho somos. Então pensem nisso e façam o melhor que puderem, para chegarem na velhice cercado de ótimas companhias e um bom chá quente!

Beijos e abraços a todos!!!!




Comentários

Solidão é algo que depende de como é observada. Na juventude você acaba frequentando locais que provavelmente na velhice não frequentará. Ok. Mas durante sua vida você exercerá uma profissao ou pode continuar exercendo mesmo depois de ter bastante idade, pra quem é espiritulizado pode seguir uma religião, existe trabalho voluntario, mesmo sendo gay você pode constituir uma familia. NA VIDA voce perde 1 amigo e ganha 10 em outra ocasião.

Realmente a vida é assim mesmo, os amigos de hoje não serão os de amanhã.É muito raro encontrarmos os amigos verdadeiros.Mas eles existem. Parabéns ao colunista pela abordagem `e à todos da Revista.Muito bom!!!

Adorei o texto, adoro esse colunista, pois parece que os textos são sempre para mim!!!!!!!! Hj em dia uma forte amizade é para RAROS!!!!!!

Solidão na velhice... Como a pessoa lá no começo comentou mesmo sendo gay a gente pode ter uma família.... Acho que esse é meu calcanhar de aquiles! vivo um momento impar na minha vida, de amor na hora certa, com a pessoa certa e com promessa duradoura... E ou amar e realmente olhar no horizonte me vejo envelhecer tendo alguem ao meu lado, mas será que só isso basta? Eu queria tb filhos a me perturbar, netos a correr pela casa... Deixo como sugestão para um próximo tema este "contrasenso" aos olhos de alguns... De resto meu talentoso amigo a chaleira tá no fogo a te esperar... Abraço

Muito legal a matéria..a velhice me assusta um pouco, tenho 23 anos e já penso nisso. Tenho medo de perder os amigos que tenho feito até hoje. Mas sei que os verdadeiros irão ficar. Na verdade penso que a vida deve ser vivida intensamente, temos que fazer coisas boas e procurar sermos o mais dígnos possíveis. A velhice é certa, a maturidade uma hora chega e quando sentirmos isso temos que olhar para trás e ver que deixamos algo de especial neste mundo. Muito bem escrito. Parabéns Vagner Rossoni por mais uma matéria autêntica e esclarecedora.Felicidades!!

Mais uma vez adorei a materia, escrita de bom gosto, e facil entendimento. abraços a todos. fê

A solidão é uma das coisas que mais preocupa a humanidade de forma em geral, independente da sexualidade. Existem vários tipos de solidão... classificar a mais dolorosa depende do critério de cada um. Acho que conquistar e preservar os amigos é uma forma de amenizar esse sentimento... levá-los até a velhice é possível. Ter alguém ao lado, com quem compartilhar a vida acaba sendo o sonho de muitos, mas são poucos os que conseguem. Podemos controlar nossos impulsos, mas os alheios, nunca. Gostei muito desse tema. Parabéns Vagner. Um abraço forte!

Ouvi uma frase, no dia que completei 32 anos, de uma pessoa que amo muito "Quanto mais velhos ficamos, menos são nossos amigos"

Comentar

Conteúdo relacionado