O amor em 8 segundos

Olá queridos!!! Sentiram minha falta? Pois então, cá estou novamente e como de costume, sempre com um questionamento, uma palavra amiga ou simplesmente nada, porque, às vezes, o nada também é muito bom. Li um artigo muito interessante esta semana, mas precisamente num blog sobre assuntos gays.

O texto fazia menção a um artigo publicado no jornal britânico “Daily Telegraph” sob o texto de “Archives of Sexual Behaviour”. Tratava-se de uma experiência feita com câmeras escondidas no qual a idéia era saber o tempo necessário para se apaixonar.

A experiência foi feita tanto com homens quanto mulheres e os pesquisadores analisaram o movimento dos olhos de 115 estudantes enquanto eles conversavam com atores e atrizes. Depois disso, os voluntários tinham que dar uma nota para cada pessoa com quem tinham falado.

Os homens olharam para as atrizes que eles consideraram mais bonitas por uma média de 8,2 segundos. Para as menos atraentes, o olhar durava apenas 4,5 segundos. Já entre as mulheres não houve essa variação. Ou seja, elas olharam da mesma maneira para os homens que consideraram mais e menos atraentes. Segundo os pesquisadores, este 8,2 segundos são decisivos para que o homem fique apaixonado.

Reporto neste artigo as minhas experiências e novamente abro a questão, por que nós homens temos esta facilidade para nos apaixonarmos? Será que isto faz parte de nossa chamada “masculinidade”?

O texto na verdade confirma o que muito tenho visto e ouvido por aí, que cada vez mais as pessoas estão volúveis, hora amam de paixão alguém, na hora seguinte já não conhecem mais. E digo isso de causa própria mesmo e não vou dizer aqui que estou generalizando, somente vivi uma experiência assim.

Então queria mesmo era entender porque somos assim, porque agimos com tanto impulso na hora de conhecer alguém, prometemos mundos e fundos e daqui a meia hora já não estamos mais tão apaixonados assim.  É estranho ver o comportamento de muitos gays que conheço, muitos dizem que acabaram de conhecer um cara e já dizem que amam, que é pra sempre, muitos inclusive já pensam em “unir os cobertores” e aventurar-se no misterioso jogo de se morar junto.

Hoje eu sei o quão é importante conhecer a pessoa, descobrir as afinidades, porque não os defeitos, saber com quem está! Meu atual relacionamento é baseado principalmente em sinceridade e é por isso que está dando certo, as etapas do conhecimento são de suma importância.

É como se fosse um jogo, no qual você vai descobrindo um pouquinho mais do outro a cada dia. O amor é assim, uma descoberta a cada dia. Óbvio que nem sempre é tudo um mar de rosas, mas se juntarmos todas as rosas que jogamos pelo caminho poderemos formar um mar... um mar de respeito mútuo, um mar de sabedoria, um mar de carinho! Cientistas gostam de ditar regras, mostrar o que é certo e o que não é.

Mas o que de fato é certo neste mundo? Aliás, mais vemos coisas erradas do que certas, é avião caindo, mansões não sendo declaradas, impostos sonegados, roubalheira e esculhambação, celebridades se matando e a marolinha continua... então por quê ditar o que é o amor? Será que conseguimos amar alguém em tão pouco tempo?

 Isso é relevante, cada pessoa tem seu tempo, sua hora. O amor, pra mim, pode ser uma coisa e pra você, que está lendo, outra. Como diz um poeta desconhecido... “Amor não é se envolver com a pessoa perfeita, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser”.

Como diria minha amiga Miranda... That’s All!!!




Comentários

No meu ver, o amor se constrói, não existe isso de amor em 8 segundos. Eu fico perplexo quando escuto de alguém, que às vezes mal está a uma semana com o companheiro e já diz que está apaixonado. Por favor né??? É dose!!!!!

É verdade...as pessoas hoje em dia nem bem conhecem os outros e já dizem que estão amando aquela pessoa.E a busca, o conhecimento?Onde ficam?Infelizmente nosso mundo está desta forma, as pessoas não se dão mais tempo para se conhecerem, por isso os relacionamentos acabam tão rapidamente.Muito bem abordado o tema.Parabéns Vagner, mais uma vez um excelente tema em sua coluna.

Não existe matemática para as relações humanas, essa é minha opinião. Você pode sentir uma atração física e até se apaixonar em oito segundos, mas amar não. É impossível amar o desconhecido. Concordo plenamente com o raciocíno do texto acima. Parabéns Vagner, é sempre uma delícia passar por aqui. Um beijão.

Muito verdadeiro isto que foi dito..realmente é assim que acontece, em geral no relacionamento homossexual, mesmo que de mulheres o "amor" é mais verdadeiro e menos "caranal" mas que isso de conhecer alguém no mundo gay e de cara dizer eu te amo é muito comum.Falta o conhecimento, as etapas, como o colunista Vagner mesmo citou..o amor precisa ser descoberto...Adorei, Parabéns!!!

"Por que ter medo de dizer isso, por que ter medo de dizer: "amo você", "fica comigo"? Então, não se importe com a opinião dos outros. Seja feliz! Antes ser idiota para as pessoas que infeliz para si mesmo!" Arnaldo Jabor

Comentar

Conteúdo relacionado