Deus, Eu e o sincretismo religioso

Estava meditando sobre algo básico: Deus. Ele existe? Ele está dentro de nós? Quem criou o universo? De onde vem essa fé?
Não poderia deixar de refletir sobre algo tão importante, pois acredito na pureza das coisas e nas certezas que possuímos ou naquelas que nos possuem. E acreditar em Deus ou não acreditar, vai ditar muito em nossa caminhada rumo ao desenvolvimento pessoal.

Às vezes, penso que se eu acredito Nele (isso o digo em letra maiúscula) e Ele não existir, estarei sendo um tolo, perdendo meu tempo e colocando a minha energia de fé em algo abstrato e inútil; porém, ao mesmo tempo, se Ele existe, e eu não acredito, estarei perdendo as benevolências que poderia receber com sua crença. Para isso é preciso se posicionar em um lado.

"Não podeis servir a dois senhores, há de amar a um e odiar ao outro..."
Usei a própria Bíblia para me focar em algo real e muito difundido em nosso tempo: o sincretismo religioso. Acreditar em tudo, em todos e em toda manifestação de fé. Isso é verdade ou é uma maneira de se apoiar em várias muletas ao mesmo tempo com medo de que alguma delas se quebre?

Nunca fui muito de esconder minha opinião sobre qualquer assunto, porém nesse ponto tenho um certo temor. Não quero confundir com medo, tenho temor ou respeito por todas as formas de fé, desde que seja legítimas e coerentes com a forma de viver de cada indivíduo. Desde que cumpram com algum propósito sincero de coração porque, se não for assim, nada mais considero do que simples fanatismo.

Sou sincero de coração! Às vezes, acredito em Deus e às vezes duvido de sua existência. Se for possível isso. Mas acredito que se Ele exista, acho que não da maneira como fui ensinado a crer, já que me levava a um senso preconceituoso e imaturo, mas como uma energia pura que permeia o universo e conforme acreditamos, com nomes e tomando formas diferentes. Dessa maneira, consigo aceitar a diferença que as religiões me impõem, não as julgando pelo meu modo de crer!

A meu ver, e conforme o que tenho buscado, o certo é que Ele pode existir, mas ainda é minha a responsabilidade de viver bem ou viver abaixo do esperado. Então, se sim ou não, ainda vou buscar o melhor pra mim, sem me importar com o que vem depois, e isso deixo para analisar em uma outra hora...

Imagem: André Malinski - Coleção Deus mora nos detalhes



Comentários

Deus é uma idéia, não um fato; ele é pensável, não é conhecido; é um imaginação, não uma constatação. Não existe deus algum. O deus benevolente é, apenas, a projeção, magnificada, do que o homem reconhece em si mesmo, ou seja, o altruísmo; o mesmo sepassa com os demais caracteres do suposto deus. Sugiro "Deus, um delírio", publicado pela Companhia das Letras.

Deus, nossa consciencia, céu ou inferno, eis a questão ! Discordo um pouco de vc Fernando, tento viver sempre pensando no depois, se não qual seria o sentido da vida ? viver somente por viver ? acredito que td oque fazemos tem relevancia ... e um dia descobriremos ... bjs

Quando penso em Deus, penso em quem nos criou. Alguém nos criou, com certeza. Fez os animais as flores , os minerais, a água ,etc. Tudo na mais perfeita sincronia. Quem senão Deus, superior a nós, poderia fazer estas maravilhas???

Comentar

Conteúdo relacionado