Minha Indignação

Sempre venho à Revista Lado A expor um pouco do meu dia a dia, nos relacionamentos e questionamentos internos e procuro sempre levar a verdade da maneira mais limpa possível.

Mas esse fim de semana passei, juntamente com outros cinco amigos, por uma situação que não poderia deixar em branco. Estávamos em uma lanchonete vinte e quatro horas, muito conhecida e muito freqüentada por gays daqui de Balneário Camboriú, conversando e brincando a respeito da balada que acabávamos de visitar. Em alguns momentos dois de nossos amigos que namoravam trocavam carícias e leves beijos no rosto e selinhos. Estávamos sentados em uma mesa localizada na calçada, ao lado das portas do empreendimento, com um homem manobrista de carros nos vigiando. Então,  um homem, que depois se apresentou como dono da lanchonete, se colocou atrás de nós como que nos observando.

Num dado momento, um dos meninos atirou um guardanapo usado e amassado no outro por brincadeira e foi retribuído com o mesmo guardanapo. Nessa, o homem veio até a mesa e de uma maneira grosseira mandou um dos garçons retirar os pratos e dizia que ali não era a casa de ninguém dos que estavam ali e que iríamos parar de fazer "putaria" (exatamente essa palavra) ali em seu estabelecimento, retirando os copos quase que quebrando-os uns nos outros!
Pedimos a conta de imediato, mas percebemos que aquilo era um típico caso de homofobia e retrucamos e o senhor apenas zombava de nós como se não se importasse com o que dizíamos, sendo ele o dono do comércio.

Saímos do estabelecimento completamente arrasados e indignados, pois sabemos que a comunidade gay de Balneário e região são um dos maiores clientes que aquele comerciante atende mas, não respeita-nos como seres humanos e muito menos teme que seu ato seja de alguma maneira repreendido.

A minha indignação maior é que em momento algum ele nos chamou de qualquer que seja nome depreciativo a nós gays, o que iria auxiliar em algum processo, apenas nos observou e esperou que fizéssemos qualquer coisa que ele julgasse errada (jogar bolinha de papel um no outro), para nos escorraçar do local.

Fizemos de tudo para não cairmos no ridículo de brigar ou fazer qualquer tipo de barraco, pois acreditamos na Justiça e sabemos da mobilização do orgulho gay, pela qual lutamos de verdade e sabemos que um negócio assim não deve prosperar a não ser que mudem seus conceitos conosco!

Desculpe aos nossos leitores, mas precisava desabafar de maneira a proteger nosso maior direito: o de sermos quem somos e não temermos ninguém ao demonstrar o que sentimos uns pelos outros.
O caso será levado adiante e em breve teremos novidades!

 




Comentários

Muito interessante o manifesto, mas vai parar por ae ou vai tomar outras providências? Como vc mesmo citou no texto "acreditamos na Justiça", mas como ela vai ser feita?

Nossa amigo, eu sou gay, e sinto muito pelo ocorrido, aqui no estado de sp é igual, mas acredito que menos um pouco que aí. Mas conte com todos nós gays

Concordo com o BRUNO, sc tem lei contra homofobia, pq nao chamou a policia na hora? Se o motivo foi homofobia? nao e questao de barraco e questao de cumprir a lei. Mas E sera que so foi jogar bolinha, ou ficaram dando pinta, gritando, como normalmente acaba acontecendo depois de balada. Acho q os dois lados tem que ser ouvidos. E facil julgar sem conhecer as duas historias.

Você NÃO deve pedir desculpas aos leitores, mas sim ser gratificado por expor um fato que é comumente visto no dia a dia dos homossexuais, e que é ABAFADO, (entre os próprios inclusive) por motivo de vergonha ou outros. Casos como este devem INDISCUTIVELMENTE serem expostos e também terem sua devida atenção. Além de, claro, ir atrás de que sejam tomadas as providencias legais, coisa que também é bem complicada na nossa sociedade, mas que com CORAGEM e sem HIPOCRISIA, como este caso, vão CONTRIBUÍR para o avanço da sociedade, o fim da ignorância e do preconceito. Faço um apelo para que TODOS que sofram descriminações como esta, exponham para todos e corram atrás de seus DIREITOS!

eu esteva junto...... EU JOQGUEI O PRIMEIRO PAPELZINHO.....nao fizemos absolutamente nada além do que se espera de um grupo se divertindo sem passar dos limites. Nao podemos parar aqui, pois senão seremos apenas mais uma situação ocorrida apenas.... lutar pelos direitos é legal sempre. Mas mais legal é REALMENTE querer conseguir a vitória que nos é merecida!

Acabei nao prestando tanta atenção, mas vi algumas pessoas olhando (o lugar estava cheio). Apenas olhavam, e alguns riam. Acho que da situação em si (como muitos riem, nao acho que foi EXATAMENTE preconceito desses que apenas viam e riram). Mas enfim... Agora quanto estar dando pinta ou não... acho irrelevante. Apenas jogamos um papel um no outro (menos de 1 metro de distancia). Meus amigos se beijavam. MESMO SE dessemos mais na cara que eramos gays, nada justificaria. Dar pinta é demonstrar MAIS AINDA que se é homossexual... e o que há de mal nisso? se for assim, transexuais, travestis e drag queens perderiam o direito, se fosse o caso... Agora quanto a FALTAR COM O RESPEITO COM O PRÓXIMO, realmente isso não ocorreu! Se tivesse ocorrido, eu mesmo teria sido o primeiro a chamar atenção, pois o respeito de um acaba onde começa o do outro. mas como disse, não foi o caso. Agora, realmente.... temos em SC a lei contra homofobia. Mas acho que pelo fato de ser uma lei recente, não lembramos na hora.... pode ser isso. Realmente, deixamos passar!

SOBRE A LEI ANTI HOMOFOBIA DE SC Infelizmente, após aprovada a lei antidisrciminatória de Santa Catarina na Assembléia Legislativa, a mesma não foi sancionada pelo então governador Esperidião Amin e nem depois pelo atual governador que ainda considerou a lei anticonstitucional. Ou seja, não há lei de fato em SC. Já Florianópolis conta sim com sua lei aprovada este ano, sancionada pelo prefeito e publicada no diário oficial, segundo o vereador Tiago Silva, autor do projeto. Isso sim é revoltante!

Caríssimo.....até no mundo hétero, havendo uns beijos e amassos num bar de respeito, iria trazer desconforto para os frequentadores......agora, ficar jogando bolinha de papel ? Pô, a comunidade gay tem coisa mais séria pra fazer, né? Isso já é falta de amadurecimento.....gente, vamos crescer também, né?

Creio que os comentários estão desvirtuando o que aconteceu. Eles foram expulsos, sem advertência de um lugar. Você está pagando, você merece tratamento igual aos outros. Se heteros beijam, gays podem. Podem brincar e fazer o que quiserem, estão em seu direito. Em todo caso faltou uma advertência... deveriam ter chamado a polícia no exato momento.

A intolerância não pode prosperar! Infelizmente a burocracia da Justiça não deve levar a grandes soluções. O que essa gente sente é o bolso. Deve ser promovido um boicote público ao estabelecimento, alertando os frequentadores que se trata de um estabelecimento preconceituoso, violento, intolerante e, portanto, inapto de ser frequentado por qualquer pessoa que tenha o mínimo de noção de direitos humanos e de cidadania.

Diante de tudo o que li, o que aconteceu durante essa semana, e o que ocorreu naquela noite, uma coisa fica ainda mais clara para mim: Continuamos diferentes uns dos outros. Isso não digo mais em relação ao troglodita que nos ofendeu, mas sim em como nós gays nos julgamos uns aos outros. Não acredito que ainda existam pessoas que achem que uma vida assexuada e nula (ser gay só entre quatro paredes) seja a solução e tambem não sou a favor de sair por ai gritando e se expondo desnecessariamente. Sou a favor é do respeito devido como seres humanos. Naquela noite não estavamos fazendo nada a mais do que tinhamos direito a fazer, ou o que os outros não estivessem fazendo. Quero apenas ser tratado igual por todos, e isso não difere opção sexual (como eles mesmo dizem). Sou igual a todo mundo! Esse respeito eu exijo!!! E quanto a denúncia, essa foi protocolada junto a Secretária de Combate à Homofobia daqui de BC, e em breve terei o que comentar. E obrigado por toda essa repercussão!

Deveriam ter respeitado o lugar antes de tudo né fofas.. sabem que as pessoas não gostam de certas atitudes de gays que ficam " fazendo caricias " em publico mas provocam.. eu mesmo sendo gay faria o mesmo.. pois conheço o tipo e aposto que esta historia está mal contada...

Comentar

Conteúdo relacionado