Para ex- editor da Men´s Vogue, moda deste inverno ainda deve refletir a crise

Esteve nesta quarta-feira, dia 14, em Curitiba, para assessorar o desfile da marca Saad no XXII Crystal Fashion, Álvaro Salazar que por quatro anos foi editor da Men´s Vogue, dos Estados Unidos. Ele conversou com a LADO A durante o evento e falou um pouco de moda masculina e tendências.

Ao lado da lendária Anna Wintour, o charmoso, talentoso e simpático jovem nascido na Costa Rica, que desde os 15 anos de idade mora em Nova York, trabalhou desde o lançamento na versão masculina da mais célebre revista de moda, a Vogue - fundada em 1892. A Men´s Vogue nasceu em 2005 e foi mais uma das vítimas da crise, retraindo sua publicação na edição de janeiro de 2009, virando um suplemento semestral da Vogue.

Salazar nos contou que a revista Men´s Vogue, acima de vender moda, era uma revista de lifestyle, e que a versão americana é mais conservadora (as versões italianas e francesas – e a brasileira, entre outras -  continuaram). Isso responde a nossa pergunta se a revista estava atenta ao mercado gay, e ele afirmou que ela era para uma faixa de homens, conservadores, e não era voltada ao mercado gay. Ele concorda que se a revista fosse mais ousada, talvez, tivesse sobrevivido. O profissional também já assinou materiais para outras revistas, entre elas para revista do NY Times, Squire, entre outros títulos. Ele também tem em seu currículo de mais de 10 anos de experiência, trabalhos para as revistas Vanity Fair Itália, L’Uomo Vogue, Vogue Brasil e campanhas e desfiles de nomes como Stella McCartney, Oscar de la Renta e Ralph Lauren.

Para Salazar, a moda pós crise deve dominar o mercado, e deve trazer criações sem exageros. “Ficou essa mistura, com simplicidade. Tem que ter cuidado para não ficar demais”, afirmou. Perguntamos sobre o excesso de sexo nas publicações européias e outras voltadas ao público gay e Salazar acredita que “sem dúvidas, sexo vende, desde não fique vulgar, que elabore uma idéia”, ensina. Para ele, os editoriais de moda brasileiros se diferenciam por serem “mais sexy, colorido e tropical”. Sobre trabalhar com moda homem ou mulher, ele afirma que os editoriais de moda feminina permitem brincar mais, dependendo da proposta.

Perguntamos para Salazar se os gays realmente comandam o mundo da moda e ele, rindo, disse que há designers, editores de moda gays que de fato influenciam a moda mas que há mulheres muito poderosas e deu como exemplo sua ex-chefe, Anna Wintour, aquela que inspirou o filme O Diabo Veste Prada. Ele nos contou que Anna é uma Lady e profissional, que não grita ou dá escândalos.

Perguntamos as marcas para homens mais promissoras e ele nos revelou as suas prediletas: Marc Jacobs, Jill Sanders, Spurr e Ralph Lauren.

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado