Para Combinar Penicilina e Dor

Pedi demissão. Não aguentava mais aquele ambiente, aquela energia negativa. Confesso que me sinto rancoroso, mas se alguém aqui já trabalhou em uma casa de penhores, provavelmente sabe do que estou falando.

Adorava as jóias, até comprei algumas. Mas trabalhar no meio de canastrões com um Q de pilantras deixa qualquer um down. Saí da frigideira e caí no fogo. Agora trabalho em uma loja de roupas masculinas. Só ternos chiques como Calvin Klain ou Alfred Sung mas num ambiente onde você ganha 9% do que vende (e onde cada terno custa $545 ou mais). Lá é cada um por si, e dá-lhe punhaladas nas costas!

Talvez seja daí que o termo “costas de ferro” surgiu, se você conhece as pessoas certas, não interessa se o resto te apunhala, nada acontece. O meu problema agora é ter que brigar com meu antigo patrão pra receber o que me é justo. Eu dei três semanas de aviso prévio, quando a lei exige apenas duas, para não deixar o cara na mão. Cheguei a ir trabalhar doente, para que ele não tivesse que trabalhar um turno de 12 horas. E agora eles não querem me pagar o bônus do mês de abril? A explicação: Quando nós fizemos o pagamento você não trabalhava mais na empresa, então não tem direito.

É minha culpa que eles fizeram o pagamento pra abril depois de quase duas semanas em Maio? Não, não é. E agora eu tenho que ir pros Direitos do Trabalhador e blá blá blá. Por que as pessoas são assim?

E é muito chato esperar que o karma resolva tudo nessa vida, as pessoas deveriam ter um pouco mais de consciência. E agora que eu quero ir pra Nova York para comemorar o aniversário do meu macho com ele e, de quebra, curtir a parada gay, o consulado americano decide fazer minha vida um pouco mais miserável e eu preciso pedir autorização (que, aliás, custa $8,40 pra marcar entrevista e $131,00 pra ser aceito na entrevista) pra entrar naquele país. E depois de gastar todo esse dinheiro (sim, porque além de tudo eu terei que ir no consulado que fica no outro estado porque eles não tem mais horário até Agosto aqui em Alberta... Como deve ser deliciosa a vida deles, trabalhar quatro horas por dia...) eles podem simplesmente dizer “não”.

É, sinto como se reclamar da vida nesse momento seja a coisa certa. Não estou contente com meu emprego, não estou contente com a minha situação financeira, não estou contente que meu namorado tropeçou na escada e está com as costas toda f* (no mal sentido) e mal me deixa dormir, não estou contente com meu ex-patrão, não estou contente ponto.

Espero que, pelo menos, os quadros do Allan Robert Thompson que coloquei no leilão vendam.




Comentários

Comentar

Conteúdo relacionado