Peça ´Plié: o bailarino` traz conflitos de um jovem gay no Festival de Curitiba

Nesta quinta e sexta, estréia na mostra Fringe, do Festival de Curitiba, a peça "Plié: o bailarino", que mistura teatro, dança e muita discussão sobre a sexualidade de um menino apaixonado por balé que ouve desde cedo: “Balé não é coisa pra menino!".

Mas ele foi em frente com seu sonho e montou este lindo espetáculo semi-autobiográfico. “Se eu parei? Claro que não. Eu sei fazer Plié, quer ver?", diz o personagem que se desconstrói na primeira cena. O preconceito o levou a ter fobia pela dança, conta o personagem que faz parte do espetáculo de uma trupe de mato-grossenses que vem a Curitiba mostrar o seu trabalho.

A montagem reúne diversos ritmos de dança, navega pelo humor e drama, levando os espectadores ao mundo do balé sob a ótica de um bailarino gay. O texto fala de aceitação, de auto aceitação e de felicidade. O rapaz conta ainda o bullying que sofreu na escola, e sua iniciação no balé aos 12 anos que é interrompida por causa da repressão que recebeu. Aos 15 anos, ele volta a dançar e não para mais.


Quando: 07/04 às18h30 e 08/04 às 16h30
Onde: Bisbilhoteca - Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 1166 A – Bigorrilho
Quanto: R$ 10
Informações:
www.festivaldecuritiba.com.br

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado