Você faz sexo ou amor?

Qualquer um que tenha estado ao menos cinco minutos na internet hoje, inevitavelmente, percebeu que estamos comemorando, ou não, o dia do sexo. A data traz as mais diversas discussões a tona, começando obviamente pela sugestividade dos números - 6/9. Mas a data em si é o menor dos detalhes.

A euforia em geral é pelo desconforto do tema: sexo. A história sempre nos mostrou isso e a nossa cultura não favorece a discussão. Se por um lado todos sabem ao menos uma das vantagens em praticar sexo regularmente, por outro, é comum ver retaliações a essa data, justificadas por uma suposta banalização e preconceito do que para muitos deveria ser apenas amor. Quando perguntamos a alguém o que ele pratica: sexo ou amor, o desconforto fica evidente no mesmo instante, e as respostas costumam ser evasivas. Tente você mesmo qualquer dia desses perguntar para algum amigo ou vizinho. Esse desconforto aumenta se você perguntar a um casal em que os dois estejam no momento da pergunta lado a lado, seja ele homossexual ou heterossexual. Isso porque ninguém sabe ao certo como definir, grande parcela da população ativa sexualmente pratica ou já praticou sexo, seja casual ou “por esporte”.

As opiniões divergem mas no final todos nós buscamos um tênue equilíbrio, afinal, quem não quer ser amado mesmo no momento em que está praticando apenas sexo? O sexo pode ocorrer apenas por necessidades fisiológicas de ambas as partes, mas também pode ser considerado amor. Somos seres humanos e temos a singular capacidade de misturar e bagunçar tudo. Então, porque não misturar um pouco de sexo e amor.

Faça amor ou faça sexo, USE CAMISINHA




Comentários

Belo artigo ! Na minha opinião o sexo é uma das ferramentas utilizada para expressar o amor, e não deveria ser tratado como algo a parte (mas é o que infelizmente acontece!)

Comentar

Conteúdo relacionado