Como se faz para remover tatuagens?

Quem fizer tatuagens deve pensar muito bem sobre o futuro delas. Ou melhor, no seu futuro com elas. Além de arrependimentos imediatos por motivo diversos, até a tattoo que você ama pode sair de moda um dia, perder a beleza ou mesmo sentido para você. Nesses casos mais extremos, há diversas soluções para a remoção, como conta a médica dermatologista Cristine Carvalho, diretora do CDE – Centro de Dermatologia e Estética, de Curitiba.

Uma pesquisa feita pelo FDA - Food and Drug Administration – órgão nos EUA que regulamenta os serviços e produtos para tatuagens por lá, estima que mais de 45 milhões de americanos tem tatuagens, ou seja, 16% de todos os adultos e 36% das pessoas entre 25 e 29 tinham pelo menos uma tatuagem pelo corpo. O estudo apontou que 17% dos norte-americanos tatuados se arrependeram de terem feito a mesma.

Para a Dra. Cristiane, “as decisões da juventude são muito rápidas e impulsivas, em média, depois de três a cinco anos, as pessoas tendem a querer remover a tatuagem da pele. E é aqui que surge outro momento delicado: a remoção da tatuagem”. Segundo a profissional, a melhor técnica de remoção é definida segundo as características da própria tatuagem do paciente. No passado, em geral, as cicatrizes da remoção ficavam mais feias do que a tatuagem em si, hoje há novas tecnologias.

“O tratamento a laser é o mais seguro do que muitos métodos tradicionais, tais como a dermoabrasão, a excisão ou a salabrasão, devido à sua capacidade única para tratar seletivamente cada pigmento envolvido na tatuagem”, explica a médica, especialista no assunto. As cores azul e preto são as que melhor respondem ao laser. A coloração da pele do paciente também ajuda, quando mais morena, mais difícil é o trabalho de remoção. “Quanto maior for a presença de outras cores e mais escura for a pele da pessoa, mais difícil será a remoção com o emprego do laser, pois ele funciona por comprimento de onda”, esclarece a dermatologista.

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado