Ministro da Saúde se posiciona contra projeto de “cura gay”

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou nesta quarta-feira, dia 19, que já se manifestou aos parlamentares responsáveis pelas próximas comissões a julgarem o projeto de decreto legislativo que quer dar direito aos psicólogos de atuarem na reversão da sexualidade de pacientes. "Reforcei hoje ao presidente da Comissão de Seguridade e ao presidente da CCJ que não é correto um projeto de lei querer estabelecer cura para aquilo que não é doença”. O ministro acredita que os deputados irão agir de maneira “sensata” e irão derrubar o PDC. 

A Ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, também afirmou esta semana ser contra o projeto, logo após a aprovação do mesmo na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. “Nós vamos dialogar com as bancadas e com os presidentes, procurando que todos os brasileiros sejam respeitados, respeitadas. E afirmando que esse projeto não respeita os cidadãos brasileiros que são homossexuais. E é uma missão da área de direitos humanos garantir a todos os brasileiros e brasileiras os direitos iguais”, declarou Maria do Rosário.
 
“Quando o projeto fala em cura, ele considera os homossexuais como pessoas que estão doentes e não considera a diversidade sexual como um direito humano que deve ser respeitado. As pessoas têm a liberdade de serem como são, de acordo com a sua própria identidade. O básico é dizermos que o projeto é muito ruim e eu espero que ele não seja aprovado”, explicou a ministra que foi em seguida alvo de ameaça do deputado Marco Feliciano, que afirmou que o governo não pode se intrometer no Congresso e que o ano seguinte é ano político, mandando recado à Dilma.
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado