Profissão Dj: 1001 Funções

Ao pensarmos em sair de casa curtir uma balada, pesquisamos qual agito tem na noite e encontramos um baita flyer com uma festa super fantástica e as atrações: Djs de nome é até peso, vários profissionais, além da festa em si. Notamos com isso que a cada dia aparecem na cena noturna uma quantidade assustadora de Djs. Desde Djs com roupas estilosas, cabelos espalhafatosos, até mesmo Djs semi nús, Djs com buzinas, com fogos pirotécnicos, lança papel e etc etc...Mas espera aí...Tem algo errado?? O que é de fato o Dj?? O que muda de um Dj para outro?, Bem, não tenho todas as respostas mas vamos entender o que é Dj e o que difere um Dj de outro.

Com os avanços da tecnologia, a parte técnica (operacional de equipamentos) se tornou praticamente fácil. Hoje em dia, Djs se separam nos bastidores da noite entre Djs e “Djs fakers” sendo esse último, um que utiliza do meio quase que automático de softwares que existem, e se “empenham” mais em suas coreografias ou visual, “performance”, seu corpo, seu cabelo, quase que um “ator”, mas, porém, voltemos ao que é ser DJ.

Dj é uma abreviação da palavra Disc Jockey.. Ops jockey?? Sim galera, jockey segue a mesma lógica daquele carinha lá que anda no cavalo (bem explicativo né!!) que é controlar e manter o ritmo dos disc (discos), passar de uma música para outra sem “sambar” (expressão usada quando o Dj erra a mixagem e todos percebem que ali tem um remendo entre duas músicas) e o que difere a grosso modo um Dj de outro são dois pontos importantes: Feeling musical e Estilo musical.

 Feeling musical, é a capacidade de transmitir uma sensação ou emoção causando nas pessoas sentimentos de segurança, alegria, euforia... Um bom Dj tem de ter a percepção para saber qual hora da festa é ideal cada estilo musical, Creio que todos já estiveram em uma festa que todos dançando alguma música eletrônica e,  de repente, o Dj toca um Funk no meio da festa, criando um desligamento ou famoso “nonsense”... Esses são casos de Djs sem feeling. Assim como creio que também já estiveram em festas que pareciam chatas e monótonas até que trocam o Dj e ele joga uma musica até nostalgica, porém que te faz lembrar algo e te traz um sentimento bom, te motiva a dançar, e segue com músicas que cada vez mais te faz ter um misto de sensações. Esse é um caso de Dj com Feeling. Um bom feeling musical torna o Dj como um maestro da festa, que conduz as pessoas a entrarem na pista de dança ou a saírem dela. Conduz as pessoas a irem para o bar ou a sair dele. Djs com feeling apurado é o que o torna algo a mais do que apenas uma pessoa com conhecimento tecnico de som. Existem muitos Djs com ótimos conhecimentos técnicos, porém com pessimo feeling, e vice versa!

Estilo musical, é o estilo de música que o Dj tem como padrão em suas sequências (set) e nesse estilo forma uma linha musical, pois do estilo se deriva várias vertentes, ou sub estilos. Por exemplo, o estilo Tribal tem como sub-estilos ou vertente, o tribal-house, tribal-tech, tribal-electro e etc. Temos no mundo da música eletrônica diversos estilos, cada um com sua peculiaridade. Podemos citar os mais conhecidos nas noites “Indoor” que são: Tribal, House, Progressive, Dutch, Electro e etc. E em noites “open air” estilos como: Trance, Dubstep, Psy, Minimal, on Full e etc

DJ e Produtor, Geh Colusk é estudante de Medicina, natural de Brasília, ele vive no Rio Grande do Sul e é conhecido por seus sets temáticos
 

Tags: 




Comentários

Muito legal saber sobre esse

Muito legal saber sobre esse lado sério do trabalho do DJ. Muitas pessoas nem tem noção de como e porque uma festa é legal ou não. E publicar essa matéria também ajuda a valorizar a profissão, que como muitas não é vista como algo que demanda conhecimento e dedicação. Parabéns, e continuem publicando sobre esse assunto! Muito interessante!

Olá Geh, adorei a pauta, um

Olá Geh, adorei a pauta, um dos maiores problemas que se enfrenta hoje em dia é o pseudo-dj, como tu falou, hoje sofremos com o dj software, que em grande parte das vezes é mau visto, o fato é que realmente não temos djs como antigamente, hoje em dia é fácil baixar um programa, e se tornar um "dj sync", automatizando a competência, onde mostrava que o o cara era bom, daí veio os figurinos, e a parte de imagem pessoal começou a ser tão importante quanto saber fazer o som, aqui no sul, temos o DJ MODELO, guris bonitos, cunhados nas academias, com camisetas coladas e um cavalo enorme no peito, as mixagens são feitas de acordo com o grupo muscular que mais vai aparecer, as vezes parecem o Batoré, com braços tortos e aqueles músculos com veias enormes, e o som bom, porém a maioria traks ripadas e coladas uma em cima da outra, a claro esqueci de falar, eles são produtores musical também, ainda existe a questão QI, AD, FACE, ou seja, quem indique, amigo do dono, e o, - ele toca bem? - ele é lindo né!!! *__*. Ah por favor, hoje ainda temos, miss dj, ex-bbb dj, comediante dj, sem falar outros, não vejo problema algum em conciliar até porque o Dj está muito desvalorizado, pela prostituição da profissão, mas "virar dj" porque está na moda não é algo digno, eu já tive em algumas festas onde, o Dj estava tocando um set inteiro, com a outra cdj sem disco, e balançando os braços e curtindo como se estivesse na pista, aí que que surge a vergonha, pois o dj de verdade, trabalha sem parar, além de ter que escutar uma música em cada ouvido e organizar isso, ele precisa pensar em qual a próxima track que vai tocar, cuidar da pista para ver se está agradando, controlar o volume de modo geral, e equalizar tudo para que não haja desconforto para o público e possivelmente estragar o algum esquipamento, sem falar que precisa dar atenção a um e outro que quer tirar foto e pedir música ou apenas elogiar o trabalho, e por cima, muitas vezes dar conta da iluminação, por não existir um profissional de iluminação na casa, ser Dj está acima do que qualquer cliente da casa pensa que é, o trabalho é duro, não dá descanso, e infelizmente está prostituído, desvalorizando os verdadeiros profissionais que estudam, fazem cursos que por sua vez são muito caros, e ainda gastam mais ainda adquirindo os equipamentos para montar seu estúdio em casa. UFFA DESABAFEI. Abraços!

Comentar

Conteúdo relacionado