EUA: Garoto de 11 anos que tentou se matar por causa de bullying pode ficar cego e ter danos cerebrais irreversíveis

Michael Morones, de 11 anos, que tentou se matar no final de Janeiro depois de estar cansado do bullying que sofria na escolar por gostar do desenho “My Little Pony”, continua em coma em um hospital da Carolina do Norte, nos EUA.Nesta quarta-feira foi suspensa a medicação que o mantinha no coma e ele fez progressos indicando que em breve deverá acordar. Mas ele pode ter sofrido danos cerebrais severos, alertam os médicos que cuidam do garoto. Há a certeza de que ele sofreu danos cerebrais severos e pode ficar sem movimentos e até cego. Por ser jovem, sua recuperação poderá ser rápida e surpreendente, mas ainda é cedo para saber. No momento, o menino respira com a ajuda de aparelhos e está em uma unidade de tratamento intensivo pediátrica mas já mostra atividades cerebrais e reação a estímulos.

Michael foi encontrado pelos pais em seu quarto, enforcado. O menino havia reclamado dos comentários dos colegas de escola que o chamam de gay e feio com frequência. Michael  teria ficado muito tempo sem oxigenação no cérebro e os médicos já o submeteram a diversos procedimentos cirúrgicos mas seu real estado só será possível de ser avaliado depois que ele despertar. 

A comunidade “Brony”, de fãs do desenho, já arrecadaram mais de 70 mil dólares (R$200 mil) para ajudar nas despesas médicas de Michael. A sua recuperação será lenta e não se sabe ao certo qual serão os danos que ele sofreu e se serão permanentes. Segundo sua mãe, Michael amarrou uma corda em torno de seu pescoço e se pendurou na beliche em seu quarto. “Ouvi de muitas pessoas que seu deveria ir atrás dos responsáveis pelo bullying e responsabilizá-los, Mas sabe, isso não era o que o Michael ia querer. Eu prefiro ensinar as pessoas a fazer o certo do que puni-las, porque a punição nem sempre funciona”, afirma a mãe do menino.

A Carolina no Norte é um dos 49 estados dos EUA a ter lei de prevenção ao bullying. A escola planeja uma reação com a implementação de um programa antibullying depois da tragédia que ocorreu com Michael. Outro aluno em 2000 se suicidou no ginásio da escola onde Michael estudava.

 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado