Livro “Libélula” aborda amor entre dois seminaristas nos anos 50

O psicólogo paraibano Marcos Lacerda é o autor do polêmico livro “Libélula” em que retrata a emoção que ouviu em seus 21 anos de consultório como terapeuta onde pacientes gays contaram suas histórias e dramas. O autor estreou com o livro “Um Estranho em Mim” conseguindo o prêmio de Novos Autores Paraibanos, e este é seu segundo romance. O livro será lançado no dia 09 de agosto, às 17h, na Livraria da Vila (Alameda Lorena), em São Paulo e contará com uma performance baseada no livro do ator Leonardo Miggiorin.

Para o autor, não se trata de um livro gay mas sobre desamparo, abandono, do fazer ao ter o luto de uma perda e amor. “O livro fala de um romance entre duas pessoas. Eu tento romper a coisa da literatura eminentemente gay”, afirma. “O livro fala de uma trajetória de alguém que começa como um viajante por dentro dele, que faz uma viagem que não sabe onde vai dar e acaba se encontrando num ambiente de seminário dos anos 50 em João pessoa”, conta.

“Hoje em dia a religião ao invés de ser algo que liberta, tem aprisionado mais as pessoas dentro de conceitos, preconceitos e normas, fazendo com que muitas pessoas se sintam infelizes. Se as pessoas do mundo fossem absolutamente honestas de dizer como vivem a sexualidade, teríamos uma revolução mundial. A própria questão da fidelidade, todo mundo é fiel no discurso, mas na prática pelo menos 90% do mundo não vive desse jeito. O próprio conceito da religião se distorce. Eu acredito que hoje se faz uso dos textos sagrados para manobrar os sentimentos das pessoas, para manobrar a sociedade”, justifica Lacerda.

Categoria: 

Tags: 




Comentários

Comentar

Conteúdo relacionado