Não exija o que não pode oferecer

Se tem coisa complicada neste mundo, são os relacionamentos. Isso porque a maior parte deles requer a presença de pelo menos um ser humano e, bom, seres humanos são complicados.

Incluo-me nessa complicação toda, não só porque sou um ser humano (até onde sei), mas porque já dei muitos foras por motivos tolos como “ai, a barriga dele me incomoda. Quando nos beijamos, ela chega primeiro do que a boca dele” etc...

Depois de idoso, parei para pensar “nossa como fui imbecil!” E o pior é que vejo que esse é um “erro” comum entre as pessoas, não só dos gays, mas mais dos gays...

Parece que não pensamos no futuro, saca? A gente pensa no agora, no já. Quero um cara que não tenha uma barriga mais flácida do que um flan de padaria, e quero agora. Como se barrigas molengas fossem destruidoras e eternas!

Fui muito infantil em diversos momentos, ingênuo até, mas as pessoas que dispensei por tolices, com certeza, foram vingadas. Já levei tanto fora nessa vida que estaria rico caso ganhasse um real por cada um deles.

Alguns dos foras foram porque não moro sozinho, porque tenho barba, porque não sou magro nem malhado, porque não tinha grana para bancar eu e o cara, porque não sou o mais descolado e até, pasme, porque tenho olhos verdes!

Gosto realmente não se discute. Loucura também não. Aliás, loucura a gente remedia. E assim, tudo bem que tem quem não me queira. Não fico chateado. Mentira! Fico sim, mas passa.

Chega uma hora em que temos que pensar que nada é eterno. Não pretendo morar com minha família para sempre do mesmo jeito que um barrigudão pode não pretender ficar com sua pança para a eternidade.

Se achar uma pessoa interessante, invista nessa relação. Só desista depois de tentar. Se não nada acontece, se não ninguém vai te surpreender. Nada é como você quer e imagina. Dar toco mundo afora pode ser bom por um tempo... Mas o mundo dá voltas e sua hora de ser rejeitado também chegará.

Para terminar, uma dica: você mora com sua família e quer namorar alguém que more sozinho? Legal. Mas por que não procurar morar sozinho você mesmo? Assim, pelo menos, o local você terá, só faltará o namorado.

Sobre o lance da barriga: hoje em dia eu tenho uma barriga presente. Mais do que tinha quando dispensei o moço do barrigão. Mas só desejo que quem fique comigo tenha uma barriga menor ou igual a minha... Acho que amadureci, mas ainda não caí do pé.

Leandro Allegretti  escreve para o doqueosgaysgostam.com acha justo que pessoas exigentes possam oferecer aquilo o que exigem.  

 
 

Tags: 




Comentários

Comentar

Conteúdo relacionado