Câncer de colón, reto e ânus, como evitar e perceber

Entre os cânceres mais letais que atingem os brasileiros está o câncer de cólon, reto e ânus, sobretudo entre homens homossexuais. A incidência e mortalidade por câncer de intestino tem aumentado no mundo todo, apresentando uma maior tendência em países em desenvolvidos e em áreas urbanas. Por ter um histórico lento para seu aparecimento, a prevenção e acompanhamento podem fazer grande diferença entre as possibilidades de um diagnóstico precoce e a sua descoberta tardia.

O câncer colorretal começa na camada superficial do revestimento intestinal e com o tempo vai atingindo as camadas mais profundas, a partir de lesões benignas, os pólipos - pequenas lesões que se desenvolvem na mucosa do intestino grosso - e leva em média de 10 a 15 anos para evoluir ao câncer intestinal. “O diagnostico e a retirada dos pólipos, evitam a degeneração e progressão para neoplasia. Logo, o acompanhamento e tratamento dos pólipos é uma atividade importante”, destaca o médico Dr Carlos Eduardo Prado Costa, de Santa Catarina, membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual e membro da Sociedade Brasileira de Clínica Médica.

A mudança de hábitos e atenção aos avisos do corpo favorecem a prevenção, sugere o profissional. Pessoas com familiar de câncer em pelo menos três parentes de 1 º grau, portadores de colite ulcerativa crônica ou doença de Crohn devem ter acompanhamento preventivo mais frequente . Evitar maus hábitos como tabagismo; excesso de bebidas de álcool (mais de 600 ml de cerveja, 1 dose de bebida destilada e ½ taça de vinho tinto seco.), excesso de carne gorda, assadas com carvão devido aos hidrocarbonetos; frituras; queijos amarelos; embutidos ( lingüiças, salaminho, salame) que liberam nitrosaminas no intestino que são substâncias cancerígenas; alimentos com corantes; salgados e defumados, pode contribuir para minimizar os riscos do desenvolvimento de lesões que venham a ser cancerígenas no futuro.
 
Uma alimentação com verduras, frutas cítricas ou ricas em vitamina C (desde que você não tenha histórico de gastrite e úlcera); alimentos que possuem vitamina E como peixes (salmão, atum, sardinha); alimentos ricos em vitamina A e em selênio (brócolis, abóbora, batata – doce, fígado, cenoura, castanha do Pará, nozes). Alimentos com vitamina A, C e E, além do selênio são antioxidantes e protetores do intestino. E ainda alimentos ricos em fibras, as verduras, frutas e legumes, que facilitam o processo de digestão e de eliminação do bolo fecal, também indica o médico.
 
A partir dos 40 anos de idade, os pacientes com histórico familiar, tanto homens quanto mulheres, devem anualmente fazer dois testes, o exame de sangue oculto nas fezes (três amostras) e o toque retal.  A colonoscopia anual também é indicada, principalmente a partir dos 40 anos de idade. Na ausência de polipose adenomatosa, a colonoscopia deve ser realizada a cada cinco anos, além de pesquisa de sangue oculto e toque retal anualmente.
 
O uso do preservativo e gel lubrificante é de extrema importância na prevenção deste tipo de câncer. A contaminação por HPV (Papiloma Vírus Humano) é um dos grandes fatores de risco, sem falar que o sexo sem proteção oferece grande possibilidade de contaminação para o HIV e contaminações por gonococo e Clamídia, entre outras doenças sexualmente transmissíveis. “Os cuidados com o ânus e reto devem ser iniciados com a boa higienização, que deve ser realizada com água em vez de utilizar papel higiênico; usar sempre preservativo, e mesmo que se use os lubrificados, mesmo assim utilizar gel intimo para relações anais, para evitar  fissuras das pregas anais e da parte interna do ânus. Esses cuidados devem ser seguidos tanto por mulheres como homoafetivos”, alerta o profissional.

 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado