Programa a dois: Escolhendo o vinho e dividindo a conta

Jantar a dois
Faz bem se socializar com as outras pessoas, embora muitos achem que se trata de programa de quem tem dinheiro e tempo sobrando. Um casal precisa manter este hábito, pois refresca (e se livra) aquela imagem caseira do cônjuge. Precisamos ter esse respiro em um relacionamento. Então, opte por um jantar a dois, nada de amigos, parentes ou filhos. Estique para um cineminha, teatro, uma noite de amor (não esqueça de dar preferência aos programas escolhidos pelo outro quando possível). Não importa. Apenas evite conflitos, esqueça os problemas, a sociedade da cultura prepotente e ostentadora em que vivemos, é preciso pouco para ser feliz, lembre-se. As dicas também valem para início de relação.
 
CONTORNANDO AS DIFICULDADES
Escolheu um restaurante caro demais, entrou desavisado. Nada de dar a meia volta! Bem, chame o maître ou o garçom (sempre através de contato visual ou discreto aceno). Use a seguinte tática: “gostaria de uma sugestão da casa, semelhante a este” e aponte, sem que a parceira ou parceiro veja, a um preço próximo ao que espera gastar, ponha o dedo próximo ao preço. Não há restaurante no mundo que vá fazer você passar um vexame. Claro, se você quer gastar o preço de um cachorro quente, vá ao cachorro quente.
 
Vinhos: Existe uma infinidade de vinhos e um para cada ocasião. O aroma, o sabor e o paladar podem variar de acordo com as condições de armazenamento e a safra. Por isso, a não ser que você seja um enólogo de carteirinha, não discuta com o sommelier (o cara que cuida da carta de vinhos). Saiba que, quase a totalidade dos vinhedos da Europa foi dizimada por uma praga no meado do século XIX. Hoje, quase todos os pés de uva são enxertados, fora isso, são poucos os locais que não sofreram processo de industrialização. Não há razão de um vinho custar tão caro a não ser o nome da marca, por isso, aprenda a degustar um bom vinho, a conhecer as melhores safras, casas e a avaliar qual o custo e o benefício para você. A tática de apontar o preço também pode ser útil nesse momento, e lembre-se: você pode confiar no sommelier. Aliás, eles adoram ensinar sobre vinhos. Mas não esqueça da sua companhia, é muito comum mulheres e gays preferirem vinhos suaves. Convença com a opinião do especialista, não com a sua, de qual vinho combina mais com o prato pedido.
 
Como degustar o seu vinho. Escolha na carta, a garrafa será trazida à sua mesa, será aberta, então, você pode conferir o nome e números na rolha com a garrafa, cheirar a rolha, entre outras esquisitices. Não é necessário nada disso, em alguns locais pode ser ofensivo. É um ritual, ou seja, tem valor para quem acredita nele. Lembre-se de fazer a prova do vinho da forma clássica. Segure pelo pé da taça (serve para não passar a temperatura corporal para a bebida, sempre segure taças pelo pé), rode-a levemente, cuidado nessa hora, espere um rodamoinho se formar. Veja nas paredes da taça a borra formada pelo vinho. Se é consistente, se é encorpado, ou ralo. Aprecie o aroma do bouquet, verifique se tem cheiro de mofo ou vinagre. Leve o copo até a boca e deixe uma pequena quantidade do líquido deslizar para a cavidade oral. Movimente a língua no interior da boca, faça cara de pensativo, engula. Confirme com o especialista que está bom. Caso o contrário, convide-o para degustar. Se necessário, solicite a troca da garrafa. Se o vinho está com um gosto muito alcoólico, você pode ainda solicitar que seja passado em um decanter para corrigir isso.
 
Dividindo a conta
Para os héteros, nestes casos a regra é clara: o homem que convidou para o PRIMEIRO jantar SEMPRE paga a conta. Por isso menina, não o convide para jantar, pois pode confundir o mocito. A mulher pode insinuar que gostaria de ser convidada para jantar, aí tudo bem. Se ele perguntar onde você gostaria de ir, sinal amarelo, diga que ele escolhe, a final, ele quem convidou. Se for um casal ou amigos íntimos, sempre divida, salvo se sabe que a pessoa não está em uma boa fase. Saiba interpretar os sinais. Na hora de pagar a conta, a mulher pode ir ao toalete, deixa tudo bem claro. Se ele esperar você voltar, pague a metade e se livre dele rápido, ou, diga que esqueceu a carteira em casa e teste o cavalheirismo do moço. 

Para casais de gays e lésbicas vale a regra básica somente: convidou e escolheu o lugar no primeiro encontro, pagou. Mas se for querer dividir e for o autor do convite, nos dias de hoje, apenas avise com antecedência e deixe claro que a conta será dividida. As pessoas confundem muito sexo com mesa, então nunca é demais deixar claro o que está rolando. Para amigos e casais de longa data, hoje, dividir é mais elegante do que pagar toda a conta.
 

Categoria: 

Tags: 




Conteúdo relacionado