Amor ou sexo: Partido vermelho ou azul

As eleições acabaram, mas a tosquice humana está longe de ter fim. Prova disso é que alguns humanos estão limitando sua rede de prospects amorosos e/ou sexuais a pessoas que tenham o mesmo “pensamento” político.

Você pode achar “natural” escolher alguém que tenha as mesmas afinidades políticas para passar o resto da vida ou alguns minutos transando contigo. Mas eu acho isso o início do fim da aventura humana na Terra. Se já está complicado encontrar alguém para transar que tenha local, pegada e “química boa”, imagine alguém para a vida inteira que seja PT ou PSDB como você.

Não estou fazendo tempestade em copo d’água, se bem que deveria, porque aqui em SP está faltando... Li um artigo do Ivan Martins na GQ em que ele comenta a mesma coisa: Alguns homens e mulheres héteros passaram a dispensar pretendentes por conta do partido político que apoiam.

Posso afirmar que tem rolado o mesmo no meio gay, outro dia achei um perfil no Grindr no qual um moço bombado escreveu na bio “se for votar no PT, nem me chama”. Fiquei com uma imensa vontade de escrever para ele algo do tipo: “oi, lindeza, se é para escolher alguém pelo partido político, melhor começar a separar também pela faixa salarial e até pela importância da família dessa pessoa na sociedade (se de família tradicional ou de retirantes), já que por etnia e biotipo é comum eliminar um possível parceiro sexual”. Se pudermos complicar, para que facilitar, não é mesmo?

Entendo que atração e tesão são individuais, cada humano tem a libido despertada por determinados aspectos existentes ou não em determinada pessoa. Mas meu amor, deixar de transar com um PTralha só porque ele não vota no PSDB? Sério? Como se na hora do sexo alguém fosse ficar gritando “Vote 45, vote 45, vote 45” e “só voto no PT, só voto no PT, só voto no PTÊÊÊÊ!”.

Por falar nisso, eu votei no PT, mas, mesmo evitando fritura, aceito coxinhas que me apeteçam porque, lindeza, se eu for excluir da minha vida pessoas que votaram no Aélcio Never, vou ter que dar adeus para a minha família, colegas do trabalho e alguns dos meus melhores amigos (as), de infância inclusive... Apenas para constar: dispenso coxinhas e/ou PTralhas xenofóbicos. Beijas.

Leandro Alegretti votou na Dilma, mesmo sabendo do risco de ela ser uma ladrona, mesmo o PT sendo uma vergonha, porque para ele o PSDB não fica atrás, e não estava preocupado com a alta do dólar caso o Aécio perdesse... Preferia mesmo é que os políticos e os partidos fossem outros. #LucianaGenro<3

 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado