GHB e as drogas que estão matando os gays nas baladas

GHB (Ácido Gama Hidroxibutírico), mais conhecido como Gi, GBL (Ácido Gama Butil-lactona) e 1,4-BD (1,4-butanediol) são drogas que surgiram em festas nos anos 90 e ganharam força na comunidade gay por causar desinibição e aumentar o desejo sexual. Chamado de “ectasy líquido”, o GHB é uma droga sintética que era usada como anestésico e sedativo e teve seu uso abolido por conta dos efeitos colaterais, hoje presente apenas em suplementos de atletas e outros produtos em baixo teor. Por causa de seu uso controlado, o GBL e o 1,4 BD são vendidos como GHB mas na verdade são solventes industriais que se convertem em GHB no corpo.
 
Não há doses seguras com estas substâncias. Transparentes, sem cheiro e com um leve gosto salgado, o GHB tem sabor menos perceptível que os dois outros compostos que tem um contato ácido com a mucosa da boca. O efeito da droga começa de 10 minutos a uma hora depois de tomada a primeira dose e pode durar mais de 6 horas. Em pouca quantidade pode dar a sensação de calma e paz, apelidada de sensação de câmera lenta, e por conta da elevação da dopamina cria a ilusão de uma sensação de felicidade. Em doses maiores, líquido ou em pó, o GHB causa desorientação e sono (na verdade sinal de reação do corpo à grave intoxicação). Ele também desidrata o corpo e todo tecido com que tem contato pois é um ácido forte.
 
Em razão de cada organismo reagir e processar as substâncias de forma diferente, não há dose segura. Desmaio, náusea e espasmos musculares são frequentes entre os usuários e sinal de exagero no uso da substância que pode causar ainda convulsões, perda de consciência, coma e parada respiratória. O mais comum é a pessoa tomar mais de uma dose antes da anterior fazer efeito, causando uma superdosagem. Diluída em água, a dosagem fica ainda mais difícil de ser avaliada e as pessoas bebem a água (dos outros) durante a balada acreditando que não terão uma overdose.

Outro fator de perigo é a tolerância à droga que vai crescendo conforme o reuso e a pessoa acredita que precisa tomar mais para atingir o mesmo “barato” experimentado. Apesar da baixa taxa de dependência, há casos relatados de pessoas que passam por crises de abstinência por falta das substâncias. O uso da droga também está associado ao Boa Noite Cinderela e estupros, em razão da vítima ficar em estado vulnerável e causar perda da memória.
 
Assim como o anestésico Ketamina, também usado como droga “recreativa”, O GHB é um depressor do sistema nervoso central, que interage mal com bebidas alcoólicas, drogas estimulantes ou medicamentos, e pode causar morte súbita facilmente. 
 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentários

Caro Jornalista, muito

Caro Jornalista, muito interessante e preocupante essa matéria.. Mas por que não mudar o titulo para GHB e drogas que estão matando os JOVENS na balada? Esse tipo de jornalismo só aumenta um estereótipo que NAO é exclusivo de jovens gays NAO! Cria uma mídia mal direcionada para uma minoria que já sofre tanto com preconceito. Devia tomar mais cuidado.

Agradecemos a preocupação,

Agradecemos a preocupação, caro leitor. Mas às vezes é preciso definir os grupos para que eles sintam o peso da responsabilidade. As drogas citadas são usadas em baladas gays, não exclusivamente, mas são usadas por gays principalmente por conta de seus efeitos na libido e no contato entre homens. E cabe a estas comunidades a responsabilidade pela ação e mudança. Se colocarmos "jovens", essa responsabilização se perde e ainda normatizamos que é comum entre todos os jovens. Não é comum a todos os gays mas são as drogas que estão matando gays nas baladas.

Olha, eu sou gay, casado,

Olha, eu sou gay, casado, frequento meio gays, e nunca vi GHB na minha frente... curioso... "meio gay"... meio gay é no meu trabalho, na padaria que eu vou, ou em qualquer lugar que existe alguem homoafetivo... fora que não é so gay que frequenta "meio gay".. esse esteriotipo só piora tudo

Caro jornalista,discordo da

Caro jornalista,discordo da sua opinião,segundo a matéria,a droga é usada atualmente,em suplementos para atletas,no boa noite cinderela para estupros,então não ter nada haver com os gays,não é usada em baladas gays,e sim,usada por estupradores,e,em suplementos para atletas,o que não combina com gays,achei o comentário bem homofóbico.Bem preconceituoso.

Uma questão de sintaxe. "As

Uma questão de sintaxe. "As drogas que estão matando os gays nas baladas". Não são todos os gays e nem em todas as baladas e nem todas as drogas. "Os policiais que estão prendendo os brasileiros em Miami..." Não são todos os policiais, e nem todos os brasileiros, e não em qualquer lugar.

concordo com a materia e os

concordo com a materia e os leitores que dizem q ghb nao e do meio gay deve ser por que nao saem de balada, e uma droga usada principalmente por publico gay sim conheco muita gente q usa e passam mal estive em floripa no carnaval passado e teve gente morrendo de overdose dentro da balada la

Comentar

Conteúdo relacionado