Janeiro Lilás: Representatividade trans - Participe desta campanha

No dia 29 de janeiro, o Brasil comemora o Dia da Visibilidade de Travestis e Transexuais. A data faz referência a primeira campanha de cidadania criada e pensada especificamente para e por membros da letra T da sigla LGBT. Em Curitiba, o Transgrupo Marcela Prado celebra a data com uma ação que dura o mês todo, é o Janeiro Lilás. Serão diversas atividades e intervenções urbanas para garantir visibilidade e representatividade para as pessoas trans. 
 
O dia 29 foi escolhido porque marca a data da campanha “Travesti e Respeito”, criada em 2004 pelo extinto Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde do Governo Federal. Os objetivos eram diversos, mas focavam em profissionais da área da saúde e educação e buscavam reconhecimento e apoio desse setor no incentivo ao empoderamento, autoestima e pleno exercício da cidadania por pessoas trans. 
 
Diversidade e respeito são duas bandeiras levantadas pelo movimento das travestis e transexuais. Mas as conquistas ainda são lentas e o Brasil é apontado como o país mais transfóbico do mundo. Cerca de 604 pessoas trans foram mortas entre 2008 e 2014 na nação verde e amarela, como afirma uma pesquisa da ONG Transgender Europe. A expectativa de vida desses seres humanos também é baixa e beira a margem dos 35 anos. 
 
Keila Simpson, da ANTRA, instituição que reúne organizações trans brasileiras, deu, certa vez, uma declaração icônica sobre a data: “Também pagamos impostos e queremos políticas públicas de educação, segurança, saúde, lazer, cultura e direitos humanos, daí a importância dessa data, pois é com ela que travestis e transexuais reafirmam sua identidade de gênero e começam a participar da sociedade que as exclui”.
 
A iniciativa do transgrupo segue essa mesma lógica. Com uma tenda armada na Boca Maldita, elas fazem o convite para que a sociedade civil participe conversando, debatendo, falando mas, principalmente, ouvindo as pessoas trans. Assim, elas podem mostrar que não só existem, como também resistem. Além disso, fazem o convite para que todos usem o filtro da bandeira trans na foto de perfil do Facebook, para espalhar o amor e o respeito. 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado