Ativistas saem da escuridão e realizam vigília no Marrocos

Depois do atentado em Orlando, homenagens às vítimas mortas na boate Pulse eclodiram por todo o mundo. A torre Eiffel ganhou as cores do arco-íris, bem como diversos monumentos pelo mundo. Vigílias foram e estão sendo organizadas em solidariedade às famílias das vítimas.  A Walt Disney World doou um milhão de dólares para as famílias das vítimas. Mas nenhum ato foi tão tocante quanto o de gays marroquinos que realizaram uma vigília em frente ao Parlamento do país na capital Rabat na noite desta quarta-feira.

Mesmo correndo risco de prisão, ativistas gays combinaram na internet um ato que atraiu a atenção da imprensa internacional. Com cartazes de prostesto "A homofobia mata", ou #SomosOrlando, o ato teve ainda cantos e dança e atraiu mais de 100 pessoas entre militantes, apoiadores, curiosos e jornalistas.

No país, a homossexualidade é condenada com pena de 6 meses a três anos de prisão. Foi um ato de coragem, muito bem simbolizado pela luz da vigília e o brilho na escuridão.







Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado