Sociopatas: Os adoráveis psicopatas sociais soltos por aí

Sabe aquele carinha que você ficou na balada e finge que não te conhece no dia seguinte? Sabe aquele ex namorado que te traiu várias vezes e mentia para você sempre? Sabe aquele amigo que você descobriu ser um falso e que te manipulava? O cara que passa doenças de propósito ou ainda aquele amigo promíscuo que se faz de santo e curte um sexo selvagem no banheirão? Todos estes podem ter algo em comum, eles podem ser psicopatas sociais. Um a cada 25 homens, nos EUA, segundo a autora Dra. Martha Stout, autora de The Sociopath Next Door (O Sociopata ao Lado), é sociopata social, ou sociopata.

Além do comportamento antissocial, os sociopatas não conseguem se colocar no lugar do outro, por isso machucam as outras pessoas com facilidade, pois os falta “sensibilidade”. Estudos recentes apontam que não é culpa “do caráter” deles mas da incapacidade de sentir empatia pelo outro, ter remorso, culpa ou vergonha. Na verdade, eles são viciados em dopamina, por causa de uma anomalia genética na região da amigdala cerebral, onde faltam conexões, por isso, quase sempre, apresentam comportamento sexual promíscuo e não entendem sentimentos que outras pessoas acham naturais, e até se divertem com isso. O julgamento entre certo e errado funciona de forma diferente. Geralmente, são menos emocionais e mais racionais, fazendo um sistema de recompensa  mais prático e que não leva em consideração valores morais ou o sentimento do outro.
 
O Manual de Diagnóstico e Estatísticas das Doenças Mentais (DSM-V) destaca que os sociopatas tem uma personalidade narcisista, e normalmente se valorizam muito e não assumem seus defeitos e erros. São mentirosos compulsivos, manipuladores e comumente são pegos exatamente quando querem exibir seus feitos. Não tem amigos, a não ser que precise deles, ou nutram interesses comuns. Nos relacionamentos, são superficiais, podem até dizer até eu te amo, mas sem saber o que significa isso de verdade, e apenas da boca para fora. São incapazes de amar mas podem desenvolver sentimento de posse. As pessoas são tratadas como objetos. Quem sofre desta doença são como daltônicos, enxergam tudo de uma ótica própria e precisam se adaptar ao mundo.  
 
Essas pessoas podem ser muito bem sucedidas pois mantém controle em situações de estresse, perigo ou medo. Elas não reagem como a gente esperaria, sua fisiologia não responde como a das demais pessoas, com uma morte ou situação crítica de perigo, por exemplo. Sociopatas pulam de objetivo para objetivo rapidamente, pois cansam facilmente da mesma recompensa e agem no calor do momento. Eles podem manifestar irresponsabilidade, falta de zelo com a própria segurança ou com a segurança do outro, além de raramente assumirem compromissos.
 
Sociopatas são mestres na arte do disfarce e conseguem se infiltrar onde objetivam algo, fazer amizades, ganhar a confiança das pessoas, pois possuem um charme magnético e moldam a personalidade para agradar os outros. Pois precisam alcançar o prazer desejado, a qualquer custo bem calculado. Eles sabem que é errado, mas não se importam, e sabem negar e fugir das consequências dos seus atos. Eles não gostam de ser confrontados, apesar de saberem que são diferentes das outras pessoas. 
 
Eles vivem a vida de forma acelerada, não aceitam regras e padrões morais ou sociais e leis, pois não acreditam que a mesma regra destinada aos outros se aplica a eles.  Infelizmente ainda não há tratamento para a sociopatia mas a terapia ajuda e muito a diagnosticar e a lidar com o a questão. Não há evidências que um psicopata social se torne um criminoso, ou haja de forma violenta, mas sabe-se que todo psicopata criminoso apresenta características de um psicopata social, então, cuidado.
 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentários

Meu ex-namorado tem muito do

Meu ex-namorado tem muito do comportamento de um sociopata. Cheguei a essa conclusão depois que terminamos há um ano. Mesmo que eu brigasse muito com ele, inclusive xingando, parecia que ele nem estava ali.Quase não conversava, não expunha suas ideias, ou sentimentos. Mesmo dizendo que me amava, mentia e me traía e mesmo depois de eu descobrir tudo agia como se não fosse com ele. Mesmo eu terminando é como se ele só tivesse perdido uma objeto sem valor. Eu me livrei foi de um encosto isso sim. Pena que perdi tanto tempo com ele.

Comentar

Conteúdo relacionado