Relatório aponta registro de quase uma morte de LGBT por dia no Brasil

Um relatório prévio do Grupo Gay da Bahia aponta um aumento na morte de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros no Brasil. Foram registradas 330 pessoas mortas por LGBTfobia em 2016, 11 mortes a mais do que em 2015. Um assassinato a cada 28 horas. Mas os números podem aumentar, pois diversos casos ainda esperam confirmação.
 
São mortes com crueldade registradas em todos os estados do país, a maioria dela por tiro, facadas, espancamento, asfixia, além de suicídios. Todos com a homofobia como causa ou como fator determinante para levar a pessoa àquela situação que causou a sua morte. O trabalho de registro é feito desde 2010 pelo Grupo Gay da Bahia e foi iniciado pelo pesquisador Luiz Mott, fundador da entidade.
 
O Paraná registrou 15 mortes de LGBTs no ano passado, a maioria dela de pessoas trans. O Rio Grande do Sul também teve 15 pessoas LGBT mortas, mais da metade delas de homossexuais, já Santa Catarina teve apenas 6 mortes, a maior parte delas de homossexuais e um suicídio.
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado