Trans de 19 anos é encontrada carbonizada no Rio Grande do Sul

Um homem de 47 anos passava em frente a um terreno baldio, na Avenida Frederico Ritter, na Cidade Industrial de Cachoeirinha, Rio Grande do Sul, quando avistou algo grande pegando fogo na manhã do dia 12 de março. Ao se aproximar, constatou que era um corpo. Logo se apressou a apagar as chamas e acionar a polícia. O corpo contava com vestígios de maquiagem e roupas femininas e foi identificado como Gabriele Marchiori, mulher trans de apenas 19 anos.
 
O delegado Newton Martins de Souza Filho, da 2º Delegacia de Polícia de Cachoeirinha é o responsável pela investigação do caso. Ele explicou que o primeiro passo foi conseguir identificar o corpo de Gabriele. Feito isso, agora o delegado pretende refazer os últimos passos da vítima para identificar testemunhas e possíveis suspeitos do crime. Nenhuma hipótese foi descartada até o momento. 
 
Gabriele era moradora do do Bairro Morada do Vale, em Gravataí. Segundo o delegado, a jovem já tinha sido vítima de tentativa de assassinato à facadas, no início do ano passado. Este ano, em fevereiro, Gabriele também postou sobre mais uma tentativa: “Graças a deus, Ele me livrou de mais uma? Obrigada Senhor”. 
 
Nas redes sociais, os amigos e Gabriele deixaram recados de despedida. “Meus sentimentos aos familiares... Não tem como esquecer tudo que passamos juntas, cada luta diária que tu passava e sempre com toda aquela energia maravilhosa, apesar de termos nos separado com o tempo, JAMAIS vou esquecer do último sorriso e abraço que me deu e ainda insinuando que eu não valia nada kkk, Eu te amo demais nega e fica em paz onde estiver #Queremosjustica #LUTO”, escreveu Juliane Santos. 
 
Os primeiros depoimentos foram coletados na tarde da última terça-feira. 
 
Um homem de 47 anos passava em frente a um terreno baldio, na Avenida Frederico Ritter, na Cidade Industrial de Cachoeirinha, Rio Grande do Sul, quando avistou algo grande pegando fogo na manhã do dia 12 de março. Ao se aproximar, constatou que era um corpo. Logo se apressou a apagar as chamas e acionar a polícia. O corpo contava com vestígios de maquiagem e roupas femininas e foi identificado como Gabriele Marchiori, mulher trans de 19 anos.
 
O delegado Newton Martins de Souza Filho, da 2º Delegacia de Polícia de Cachoeirinha é o responsável pela investigação do caso. Ele explicou que o primeiro passo foi conseguir identificar o corpo de Gabriele. Feito isso, agora o delegado pretende refazer os últimos passos da vítima para identificar testemunhas e possíveis suspeitos do crime. Nenhuma hipótese foi descartada até o momento. 
 
Gabriele era moradora do do Bairro Morada do Vale, em Gravataí. Segundo o delegado, a jovem já tinha sido vítima de tentativa de assassinato à facadas, no início do ano passado. Este ano, em fevereiro, Gabriele também postou sobre mais uma tentativa: “Graças a deus, Ele me livrou de mais uma? Obrigada Senhor”. 
 
Nas redes sociais, os amigos e Gabriele deixaram recados de despedida. “Meus sentimentos aos familiares... Não tem como esquecer tudo que passamos juntas, cada luta diária que tu passava e sempre com toda aquela energia maravilhosa, apesar de termos nos separado com o tempo, JAMAIS vou esquecer do último sorriso e abraço que me deu e ainda insinuando que eu não valia nada kkk, Eu te amo demais nega e fica em paz onde estiver #Queremosjustica #LUTO”, escreveu Juliane Santos. 
 
Os primeiros depoimentos foram coletados na tarde da última terça-feira. 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado