Casal de lésbicas sofre homofobia de segurança do Museu Paranaense

Um casal de mulheres decidiu visitar o acervo do Museu Paranaense, que fica no Alto São Francisco, em Curitiba, no domingo de Páscoa, 16 de abril, por volta do meio dia. Ao entrar no museu, o casal trocou um beijo e prontamente foi repreendido por um dos seguranças que estava no local. A denúncia foi feita por Letícia na página do Museu no Facebook. A assessoria do estabelecimento se retratou e disse que vai tomar as medidas cabíveis.
 
Leticia conta que a resposta do segurança foi homofóbica e que ele disse que as duas não poderiam demonstrar o amor que sentiam dentro do museu: “Um guarda se aproximou e disse que ‘se vocês quiserem namorar, tem que ser lá fora, pois tem crianças aqui.’ Ele continuou dizendo: ‘Vocês estão me constrangendo também. Se vocês acham que eu tô errado, a polícia está ali fora’.
 
As duas saíram imediatamente do espaço, sentindo-se lesadas com as palavras ofensivas do segurança, que não teve seu nome divulgado. “Peço que o museu tome alguma atitude sobre a reação exagerada e o tom desrespeitoso usado com duas visitantes. No mínimo, essa pessoa não está preparada para lidar com os visitantes e precisa urgentemente de um treinamento”, escreveu Letícia.
 
Em menos de 40 minutos, a visitante teve a resposta do Museu, que se prontificou a identificar o segurança e tomar as medidas cabíveis, além de oferecer um treinamento aos seguranças para que o tratamento seja igualitário para todos os visitantes. “Vamos conscientizá-los de modo que este tipo de atitude não persista em nosso museu. Trabalharemos para que na próxima visita você e sua namorada sintam-se acolhidas como tantos outros visitantes do Museu Paranaense”, respondeu a assessoria do Museu. 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado