A história dos irmãos que se tornaram inimigos depois de um deles se assumir gay vira documentário

Os irmãos nigerianos John e Justin Fashanu são o assunto principal do documentário “Forbidden Games”, Jogos Proibidos, que estreia hoje no Festival de Documentários de Toronto, no Canadá. A história apresenta dois irmãos adotados por uma família inglesa que vive em Londres e que sofrem com o racismo por toda a sua vida, até alcançarem papéis de destaque no futebol nacional. 
 
John, o mais novo, conta que para um cara negro ganhar dinheiro, ele precisava cantar, dançar ou ser jogador de futebol. Então, aproveitaram suas afinidades com o esporte e despontaram no futebol nacional. Justin, mais velho, logo se destacou e defendeu clubes como Nottingham Forest, Manchester City, West Ham e Newcastle. Enquanto John, teve uma atuação mais singela, em clubes como Norwich, Millwall, Wimbledon e Aston Villa.
 
A relação entre os dois sempre foi muito próxima. Justin sempre foi o irmão mais velho que protegia Justin nos lugares. E, durante os anos iniciais no futebol, continuou assim. Até que no início dos anos 1990, Justin se assumiu gay para todo mundo em uma entrevista icônica ao jornal The Sun. Foi quando Justin viu sua vida começar a desmoronar.  John chegou a oferecer 100 mil libras para o irmão mais velho ficar no armário e não estragar suas carreiras. Mas, para Justin, a liberdade de ser quem era falou mais alto, mas o preço da revelação também foi alta e dramática. Sofreu com homofobia nos clubes, foi rejeitado por grandes times e passou a jogar por clubes pequenos e que pagavam pouco. Seus amigos e familiares cortaram contato. 
 
Durante sua temporada por um time dos Estados Unidos, chegou a ser acusado de assédio sexual, em Meryland, onde ser homossexual era proibido por lei. “Na infância, ele foi meu pai e minha mãe. Era minha luz brilhante. Minha vida. Tornou-se meu arquinimigo", conta John no documentário. Em 1998, um desfecho trágico. Não aguentando a situação decadente da sua carreira e a homofobia, Justin foi encontrado morto, após ter se enforcado na garagem da sua casa, em Londres. Em um bilhete, afirmou: "Eu cheguei à conclusão que sou considerado culpado. Não quero causar mais constrangimento para meus amigos e família".
 
Mais uma vítima da homofobia. Hoje, seu irmão se arrepende da forma que encarou tudo e por ter cortado relações. Um pouco mais de entendimento e carinho podiam ter mudado muitas coisas", reflete John.

 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado