BDSM é pauta no Museu da Diversidade em São Paulo

O dia 24 de julho é o Dia Internacional do BDSM ("Bondage, Dominação, Sadismo e Masoquismo") e, por este motivo, o Museu da Diversidade de São Paulo promove duas mesas redondas gratuitas e abertas ao público sobre o tema. A data foi criada em 2003, pelo clube fetichista Rosa5, em Barcelona, e não foi escolhida em vão. A data tem o símbolo 24/7, que representa a submissão 24 horas por dia, 7 dias por semana.
 
A ocasião é uma oportunidade para combater o preconceito, desmitificar a cultura e libertar padrões relacionados ao BDSM. O uso de práticas seguras, e nuances do universo fetichista fazem parte das discussões aberta para pessoas baunilha e experientes no assunto. Experts do BDSM e profissionais da saúde farão parte das mesas que tem apoio da Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias e da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.
 
Na sexta-feira (21), o tema abordado será ‘Prevenção e Cuidados na Prática BDSM’. Já no sábado (22), o assunto será ‘DST’s e Cuidados na Prática BDSM’. Ambas as mesas redondas ocorrerão entre às 18h e 21h no Museu da Diversidade (Rua do Arouche, 24) que fica no mezanino da estação República do metrô. ‘Podolatria’, ‘Bondage Shibari’, ‘Burlesque’, ‘Spanking’, ‘Dominação’ e outras práticas serão exploradas e explicadas pelos especialistas.
 
A festa Projeto Luxúria (Rua Aurora, 710) festa mensal produzida por Heitor Werneck celebra a data no dia 21 com programação especial que inclui: workshops de ‘Estilo de Vida BDSM’, ‘Spanking’ e ‘Waxplay’, além de concursos de ‘Crossdresser’, ‘Pet Play’ e ‘Shibarista’. Outra festa que agita a noite BDSM de São Paulo, o Libertine Festival, acontece no Dominatrix Augusta (Rua Fernando de Albuquerque, 171) no dia 21/7 e traz a performer/atriz pornô Mel Fire, vencedora nas categorias ‘Melhor Atriz Homo’ e ‘Revelação LGBT’ do prêmio SEXY HOT 2017.

 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado