Ian McKellen: Quero ser lembrado mais pelo meu ativismo gay do que pela minha carreira de ator

O ator de 78 anos Ian McKellen ganhou o protagonismo do documentário “McKellen: Playing the Part”, que narra sua própria trajetória. O astro faz parte do movimento LGBT do Reino Unido e tem uma importante contribuiçao para o mundo cinematográfico, sendo uma peça essencial para a produção de grandes filmes.

Em entrevista concedida durante o Festival de Cinema de Roma, McKellen afirmou que deseja ser lembrado mais pelo seu ativismo pela causa LGBT do que por seu trabalho como ator e cineasta. Segundo o artista, o ativismo promove mudanças sociais lentas, mas significativas. Já a sua arte é momentânea, entretenimento que não fica para sempre. "Eu faço muito teatro, e o teatro é apenas por agora, é só por hoje. Esta noite você sabe, acabou, está terminado, não está gravado”. Por outro lado, Ian mcKellen considera seus trabalho cinematográficos como eternos, mas acredita que os modos de atuaçao dos artistas são passageiros, como modas.

O ativismo pelo qual Ian McKellen deseja ser lembrado é de extrema  importância. O movimento LGBT do Reino Unido, ao qual pertence, é responsável por importantes conquistas. O grupo teve grande participação para conquistar direitos como o casamento LGBT no Reino Unido além de lutar contra políticas de extermínio dos direitos LGBT nas colônias britânicas. É por esses feitos que mudaram a vida de várias pessoas que o ator quer ser lembrado, por ter lutado a favor de sua própria classe. "Estou muito orgulhoso das minhas pequenas contribuições para mudar a lei neste país e mudar atitudes, tudo para melhor. E eu suponho que isso é mais importante, mérito e duradouro do que qualquer atuação que eu fiz", disse o ator. Em 1980, McKellen co-fundou a Stonewall, principal instituição de caridade para LGBT do Reino Unido. 

 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado