Coluna do Leitor

Conto: Dois irmãos

Paulo era um homem que não se envolvia muito com as pessoas, já seu irmão Marcelo era muito diferente dele. Paulo era um lindo homem, para quem a palavra vergonha não significava nada. Já Marcelo era um ser muito carinhoso e amava o ser irmão acima de tudo. Por ele, seu irmão sempre estaria ao seu lado, mas os pais dos meninos, Rodrigo e Clarice sempre brigavam, pois seu pai era alcoólatra e acabava batendo na mãe de Marcelo e Paulo.




Conto: Do colégio para o sexo

Fabio e Tiago eram grandes amigos, um até parecia irmão do outro – devido ao grau de afinidade. O começo dessa amizade surgiu no colégio onde estudaram o Ensino Médio e a partir daí evoluiu para um sentimento incontrolável.

Fabinho, ao completar dezoito anos, percebeu que era gay e temeu perder a amizade de Tiago, seu melhor amigo. Por tal razão, começou a entristecer, afastar-se do amigo e sofrer calado. Um certo dia, Tiaguinho, enfurecido, resolve questionar Fabio em sua residência:

- E a nossa amizade? O que eu fiz de ruim para merecer seu desprezo?




Aos meus amigos...

De cara, creio ser necessário deixar uma coisa bem clara: este não é o primeiro nem o último texto sobre a amizade, não é o melhor nem o pior, muito menos o definitivo, mas é, sim, o meu relato do quão maravilhoso é ter amigos e ser amigo de alguém.

Sempre me achei muito independente, e achava que ter a mim mesmo já me bastava. Até o dia em que senti falta de um companheiro! A busca foi muito difícil, mas todo o longo percurso valeu à pena: hoje estou casado e sou muito feliz.




Diário de um neurótico traído

Sou neurótico, assumo. Melhor ser assumido, assim posso concretizar minhas compulsões sem causar surpresa. Isso é um fato. Agora a suposição quase confirmada: meu namorado me traía. O pior é que só descobri isso depois que terminamos. Uma pena. Perdi a oportunidade de exercitar perseguições alucinadas no orkut e alargar conversas inquisidoras no MSN. O FDP tinha um caso antigo, que dizia ter terminado no ínicio do nosso affair (com o outro é caso; comigo, affair).



Iguarias Afetivas

Que tal deixar entrar uma boa dose de sentimentos primitivos e dar crédito aos “insigths” bons sobre a vida? Vale a dica. Ouça a voz interior quando ela parecer positiva. Se qualquer atitude pensada pode ser colocada em pratica de forma correta, só poderá ser benéfica.

Não é preciso chegar ao Alasca pra se acreditar no gelo, então acredite no que os sentimentos bons podem lhe propor. Faz parte e deve ser vivido.

Bons pensamentos são incrivelmente poderosos, tanto que irradiam, causam o efeito dominó.




Mês de março...

Enfim estamos no mês de março, parece que janeiro e fevereiro serviram de descanso para uns e descaso para outros. Fica aquela sensação que a vida monótona de sempre começa agora. Vi gente que engordou nas férias, viajou, “encheu a cara”, se divertiu muito, mas que agora, quer férias das férias. Ouvi de um amigo que o período lhe custaram os olhos da cara, e ri muito de sua história. Ele programou suas férias o ano todo, para ter o verão de seus sonhos: economizou em tudo para ser recompensado com sua viagem. E olha que ele faz o gênero “entendido”, está ligado em quase tudo.




Casais homossexuais na teledramaturgia brasileira

Nossas novelas estão longe das séries com temática gay (The L World ou Queer as Folk, por exemplo) produzidas pelas TVs americana, britânica e canadense, onde homossexuais tem seus conflitos debatidos e uma vida de verdade e não aparecem apenas como personagens secundários, recebendo os amigos problemáticos (qualquer semelhança com o casal Rodrigo e Thiago, de Paraíso Tropical (2007), não é mera coincidência).



Humor: A santa da Galheta

Em breve, o Papa Bento XVI terá que lidar com mais um pedido de canonização de uma Santa brasileira. Também apelidada erroneamente de Nossa Senhora da Galheta, originária de Florianópolis, mais precisamente da Praia da Galheta, reserva destinada a prática do naturismo não obrigatório, na ilha de Santa Catarina. A igreja não reconhece a Santa que nasceu católica e morreu aos 19 anos, de pneumonia, depois de largar sua vida estudantil para viver como heremita no local que lhe dá o nome.




Amor à primeira vista: fato ou boato.

Como as pessoas andam carentes ultimamente. Devem ser muitos os fatores que levam a essa carência afetiva e fazem com que alguns se sujeitem a exposição de sentimentos que não são reais, apenas fruto dessa carência íntima. Não quero dizer que não acredito em amor à primeira vista, na realidade acredito é no amor com tempo suficiente para podemos provar é verdadeiro ou é ilusório. Essa é a minha opinião.




Solidão – O mal do Século!

Quantas vezes não nos sentimos só? Estar em meio a uma multidão não necessariamente nos isenta desse sentimento. Sentir solidão para nós gays faz parte de nosso desenvolvimento de personalidade, afinal de contas, raros são os casos onde o adolescente gay possui alguém para conversar sobre seus confusos desejos e questionamentos. Desde muito cedo temos de aprender a lidar com a solidão, sozinhos.




INsatisfação

Em um mundo em que as aparências são as maiores preocupações de grande parte dos gays, acabamos por ficar cada vez mais insatisfeitos com o que temos e sempre queremos mais para satisfazer o ego, e alcançarmos um ponto que simboliza o Nirvana gay: um homem lindo ao lado, dinheiro pra gastar em extravagâncias e possuir o corpo do Brad Pitt.




Páginas