Coluna Vertebral

Antonio Alberto Pereira de Sousa

Sobre ter Orgulho

Essa semana, na revista Perception: The gay & lesbian newsmagazine of the prairies (Percepção: A revista gay & lésbica das pradarias), li um artigo que quase revolucionou minha vida. Tá, não chegou a tanto, mas quase.

Vocês lembram que há um tempo atrás teve uma onda daqueles vídeos no You Tube do It Gets Better (Vai Melhorar)? Nem faz tanto tempo assim, aliás o Chris Colfer do Glee postou um vídeo novo para o projeto uns dias atrás.




Hi-Fi, internet, camisinha e a cama vazia a ser preenchida

Arrumei um amante. Pronto. Deixei minha vida um pouco mais complicada...

O Jackson foi pro México (Puerto Vallarta) por um mês e me deixou aqui nesse frio infernal, se é que isso faz sentido. Nasceu de um momento de tesão misturado com a falta de sono. Eu tinha tudo que precisava ao meu dispor: Vodka e suco de laranja, um computador, camisinha e lubrificante e o apartamento só pra mim.




A felicidade será a minha revolução

É tipo como quando você é criança e a sua mãe diz para você não fazer algo, daí você vai e faz mesmo sabendo que é errado. Mas você não conta para ela porque você não quer machucar seus sentimentos, por que? Porque você a ama.

Então por que você fez aquilo, para começar? Eu acho que é a necessidade humana por aventura e quebrar regras. Se a sua mãe diz pra você não fazer É CLARO que você fará.




A Bohemian Rhapsody

No dia 24 de novembro fará 19 anos que Freddie Mercury se foi. Mais um entre tantas outras vítimas da AIDS. Eu tinha 4 anos quando ele morreu e tenho certeza que quando isso aconteceu não representou nada pra mim, mas o que Freddie significa pra mim hoje em dia é muito além de um cantor de rock.

Ele é um símbolo, um standard, um mártir, se você preferir, na luta contra o preconceito.




Bichas cultivam jardins

Primeiro, Facebook é perda de tempo. Vai plantar flores ou fazer algo útil. Uma das coisas mais detestáveis no Facebook é quando o cara coloca aquele app no Iphone que atualiza seu status cada vez que você está em um lugar diferente. Ódio daquilo.

Ou pessoas que mudam de status a cada insignificante insignificância que cometem. Segundo que falar sobre ser gay já não é novidade desde Oscar Wilde. Não tem nada de wow ou surpresa ou guilhotina.
Terceiro, puta é um estilo de vida, não um "abandono da honra por uma vida fácil".




Sobre quando a decisão certa é a mais difícil a ser tomada

Uns dias atrás, eu estava pensando na minha vida so far. Pensando nos namoros incompletos, nos trabalhos inúteis, nos amigos falsos e nos verdadeiros, na faculdade que eu larguei e na família que eu deixei pra trás...

A vida é um pouco de um tudo e, na maioria das vezes, se você deixar uma chance escapar that is that, ela não volta. Como quando eu ganhei uma bolsa integral pra Arquitetura e passei na UFPR em Letras... optei por Letras e me arrependo até hoje.




Minha vida como um VIP, parte I

Tenho nas minhas mãos o booklet de “Cooking with Stella” (Cozinhando com Estela), filme de abertura do XXIII Festival Internacional de Cinema de Edmonton, ao qual acabei de assistir, há uma hora, e tive que correr para casa pra contar para vocês sobre a experiência maravilhosa que foi (e será pelos próximos 8 dias) fazer “parte” desse festival, pois como Dilip Mehta, diretor do filme, mesmo disse: “sem audiência não há filme”. Presunçosamente, me considero parte desse festival!




Relatos de uma bicha no Canadá - Parte 3

Quase dois anos na terra da maple tree e de Alexander Keiths e nenhum casamento milionário so far... Mas a vida continua com suas idas e vindas, e idas, e vindas... Muito babado, amigas, muito babado.

Desde que me mudei pro Canadá eu sabia que não deveria me envolver com brasileiros (afinal, não saí da República das Bananas pra ficar na mesma, né?) mas quando me mudei pra Vancouver, após muitas peripécias desimportantes, aconteceu de eu dividir um apê de dois quartos com mais três brasileiros. Se existe inferno, aquele era o meu.




Páginas