Colunas

Saias Masculinas

Portaria publicada em 14 de setembro de 2016, no colégio D. Pedro II (da cidade do Rio de Janeiro), suprimiu a obrigação de os rapazes trajarem fardamento tipicamente masculino, e de as moças envergarem roupas tipicamente femininas, embora mantivesse a imposição de uso de uniforme. A alteração visa a propiciar liberdade de opção dos alunos e das alunas transgêneros, que poderão trajar-se consoante o gênero com que se sintam identificados, o que, na prática, permite o uso de saias pelos rapazes que assim o desejarem.



10 lições preciosas que a vida me ensinou

Tenho 36 anos e já vivi um pouco. Tive uma vida diferente da maioria das pessoas. Aos 15 anos de idade, me mudei para o Japão, tive contato com diversas culturas e filosofias. Posso dizer que vivi bastante, apesar da jovem idade. Embora a palavra “bastante” para mim conote “suficiente”, sempre quero viver mais, aprender mais. Morei fora outras vezes, viagei bastante, passei por alguns dramas pessoais: sofri, caí e levantei. No caminho, vamos aprendendo lições e delas tiramos proveitos, ou não. Resolvi copilar alguns desses ensinamentos da vida.



Beijou-me Bocalmente

Em relação a costumes, alinho-me com a liberdade de ser, de estar, de exprimir-se. É deste lado que me encontro, e no oposto ao dos tabus e das caretices, notadamente de matriz religiosa. Igualdade de gênero, cultura do corpo livre, nudez natural, homoafetividade, poliamor, liberdade, adiro-lhes. Machismo, violência, pudor (vergonha do corpo), gimnofobia (recusa da nudez), misofalia (recusa da exposição do pênis), homofobia, desigualdade de gênero, antagonizo-lhes.



Rapazes de programa: qual o preço do seu sexo?

Se você imaginou que esse artigo fosse meter o pau nos homens que vendem o corpo por dinheiro - se deu mal. A intenção aqui é justamente o oposto: confrontar as nossas atitudes para entendermos, de uma vez por todas, que somos todos farinha do mesmo saco.
 
Meio mundo levanta a bandeira de que jamais faria sexo por dinheiro, por interesse; batem na tecla de que o corpo físico é o seu bem mais precioso... ‘Eu? Imagina, sou uma pessoa íntegra, preferiria morrer’.  Já podemos encomendar os caixões.



A política brasileira e o círculo vicioso da corrupção

O atual sistema eleitoral brasileiro incentiva a corrupção tão combatida e condenável aos representantes do povo. Um exemplo desta afirmação é o abastecimento do caixa dois de campanhas por doações ilícitas e de dinheiro proveniente de desvio de verbas. Essas práticas são comuns em todo o país e são justificadas pelos políticos como “necessárias” para a reeleição e a manutenção de seus cargos.



Escola sem Partido. Objeções.

I- Instrumento de obscurantismo religioso.
Tramita no Congresso Nacional projeto de lei proibidora de os professores tratarem de temas políticos, nas suas aulas, com parcialidade em favor de algum ideário ou de alguma ênfase, e de sexualidade, em termos que contrariem os valores e princípios inculcados nos discentes, pelos respectivos pais, o que, no caso desta, atinge especialmente a compreensão da mal chamada ideologia de gênero, a transexualidade e a homossexualidade.
Uma das motivações do projeto consiste em que o professor deve respeitar o direito



Os surtados do Hornet: Tem maluco dando vexame nos aplicativos de pegação

Que pegação de rua já caiu em desuso, todo mundo já sabe: a moda agora é pagar de doido num desses aplicativos de “relacionamento”. Está duvidando? Baixe o Hornet, por exemplo, crie um perfil bacanésimo que não tenha nada a ver com você (que é o que todo mundo faz), invente um personagem surreal com uma história impossível de sustentar e...
 
 ...catapoft!



O quanto você ainda é especial para mim

Conheci o Gustavo em Pelotas há 18 anos. Eu era estudante de Medicina e ele de Arquitetura. Lembro do jeito sarcástico e "mais grosso que dedo destroncado" que me fazia rir sem parar. Ele ainda olhava pra minha cara e falava gritando: “Tá achando que eu sou palhaço?!”

Foi amizade automática. Um dia, a gente ficou, depois de uma festa. Aparentemente, fui o primeiro.




E se alguém dissesse: Biel, quero te estuprar e te rachar no meio?

Aprenda com o Biel... pensar não é crime, falar é, mesmo que de brincadeira. Pobre Biel, sendo massacrado em praça pública. Tão bonitinho, amigo dos gays, molecão, mas esqueceu que já tem 20 anos e que há limites sim. Ele não entendeu o limite, mas vamos deixar claro: 1 – a moça era uma profissional em horário de trabalho entrevistando ele, 2 – Não foi  uma, mas várias situações constrangedoras de que ela foi alvo em seguida, 3 – Falou de estupro quando todo mundo estava discutindo o tema ao qual o funk é acusado ainda de ser parte da “cultura do estupro”. 



Páginas