Colunas

Apesar da crise, podemos rir com essas vagas

Que nosso país passa por uma crise econômica, todos sabemos. Como consequência disso, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho, em 2016, mais de 9 milhões de pessoas estão desempregadas nesse Brasil varonil -o  equivalente à população de Pernambuco.
 
E a coisa fica mais tensa (e também hilária) quando olhamos os classificados e nos deparamos com algumas descrições de vagas que deveriam fazer qualquer funcionário de RH ter vergonha de botar a cara no sol:



Desaquenda 1: Vicky Spanic abre a sua intimidade e conta tudo sobre sua vida drag

Esse é o primeiro texto da coluna Desaquenda, ou melhor, a primeira entrevista. O objetivo deste espaço é dar voz às drag queens curitibanas. A cada 15 dias, vocês conhecerão uma queen nova que carrega o legado de grandes artistas da capital paranaense. Mais do que ouvir suas histórias, queremos fazer um mapeamento sobre o talento performático na noite de Curitiba, provar que a cultura drag é, também, uma arte que merece ser apreciada. Para isso, convidamos a Vicky Spanic, que se apresenta com frequência na Side Caffé, para falar conosco.



Nós aceitamos o amor que achamos que merecemos

A frase “Charlie, nós aceitamos o amor que achamos que merecemos”, descobri, é parte do livro As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower, 1999) de Stephen Chbosky, que também já virou um filme. Ela surgiu em minha vida em uma discussão sobre vida amorosa e assombra as minhas conversas com a minha melhor amiga, valendo para os dois, sempre. Seria fácil colocá-la como conclusão da discussão “por que aceitamos receber de volta  menos do que merecemos”, mas queria abordar aqui o porquê acreditamos que merecemos menos ou mais.



​No inferno tem lugar pra todo mundo

No inferno tem lugar pra todo mundo. A internet é uma via dupla. Para o tanto de conteúdo aproveitável, há o mesmo de desprezível. Esbarrei sem querer com a seguinte notícia: "Pastora ex-lésbica diz que foi ao inferno 15 vezes e viu vale dos homossexuais". Minha primeira reação foi soltar uma gargalhada descontrolada. Não era possível que meus olhos estivessem testemunhando tamanho absurdo. As religiões em geral se apropriam de artifícios mesquinhos com alto teor esquizofrênico quando o assunto é impor medo. Sem o medo do inferno, diabo e de seus deuses, as religiões não se sustentariam.



Trans e homossexuais não são obras de Deus?

Neste final de semana as igrejas inclusivas de Curitiba que aceitam a comunidade LGBTQ foram alvo de diversos ataques pelas igrejas que não aceitam a ideia de que homoafetivos podem ser chamados “filhos de Deus” e  também e viverem como são e tendo uma vida espiritual em plena paz, harmonia e amor com o Deus da Bíblia.
 
Uma das vítimas mais atacadas e que deve nosso respeito foi uma irmã de 25 anos, transexual e ordenada missionária em 2015 pela Comunidade Cristã Abraça-me, por mim, Pastor Cristoffer Zilotti, e hoje segue sua missão em outra igreja inclusiva.



30 frustrações e traumas das “bees” amigas

A nossa vida, se olharmos a olhos nus, chega a ser hilária: Comer – transar – ir ao banheiro – lutar por algo mais – morrer, e pronto. Nesse meio tempo que vai da estreia ao término do espetáculo – sim, porque as bees não nascem, estreiam – o que sobra é um desejo excessivo em ser algo que não somos e uma porção de frustrações que levamos para o caixão.



Baladas Vorazes

Quantos serão eliminados nesse novo torneio?
 
O mundo é lindo sim, mas está nas mãos erradas. Está sendo manipulado por pessoas cheias de “boas intenções”, que estão construindo impérios longe dos nossos olhos, enquanto tiram proveito dos que estão sendo eliminados - pouco a pouco. Também faço parte desse jogo e, apesar de ainda ficar meio perdido com relação às regras, me questiono constantemente: qual a razão de tudo isso? Quem vence no final?



As bermudas são proibidas ou Ridicularias no Brasil

Há, no Brasil, uma exigência de comportamento que me surpreende: a de turistas trajarem calças em dados ambientes (pelo que se lhes proibe, neles, o acesso de bermudas), como no prédio antigo da relação de Belo Horizonte, no palácio das Princesas de Recife (sede do governo pernambucano); pelo que me constou, também no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, no Rio de Janeiro, famosa pelos seus quarenta graus de temperatura, na canícula.
 
É verdade que, aos domingos, na visitação do palácio das Princesas, admite-se qualquer traje: chinelos, bermudas, mini-saias e



Páginas