Cultura

Livro O Teatro dos Anjos narra história de amor de gay no exterior

A partir desta semana, começa a ser vendido em todas as livrarias do país o livro “Teatro dos Anjos”, de Dirceu Cateck. O livro retrata a história de Miguel, um jovem que após enfrentar um grande conflito pessoal por se descobrir homossexual, decide enfrentar a família e todos que o cercam para viver em um outro país em busca de um grande amor sortido por um outro rapaz.




Michael Jackson na arte

Seguindo nossa busca por homenagens curiosas ao rei do pop Michael Jackson, encontramos duas curiosas obras de arte feitas enquanto o artista ainda estava vivo, por nomes consagrados do mundo da arte. Uma foi feita pelo artista pernambucano conhecido mundialmente, Romero Brito e outra pelo pai da Pop Art, Andy Warhol.

Brito pintou a capa do single “What More Can I Give”, que está exposta em Berlim. O pintor já foi inclusive convidado em 2002 para conhecer o rancho Neverland de Michael.




Litlte Ashes traz nu e cenas quentes com galã de Crepúsculo

O burburinho tomou conta dos amantes da sétima arte e cinéfilos de plantão. A sensação do momento não poderia ser diferente, o ator Robert Pattinson, queridinho de 10 entre dez pessoas, galã do momento por conta do filme “O Crepúsculo” no qual interpreta um vampiro pra lá de charmoso.

O bafo total é por conta de outro filme do querido, “´Little Ashes”, que conta as histórias amorosas do pintor Salvador Dalí, do cineasta Luís Buñel e do escritor Federico García Lorca.




Filme nacional traz irmãos amantes e aborda gays na infância

Muita polêmica é o que promete mais um longa metragem nacional. O filme “Do começo ao fim” irá retratar a relação incestuosa de dois irmãos. Para interpretar um dos irmãos ainda na fase infantil foi escolhido o ator-mirim Gabriel Kaufmann, de apenas 7 anos, que ficou conhecido aos olhos do público em 2007, na novela Páginas da Vida, quando interpretou Francisco, neto de Lília Cabral, filho de Nanda, personagem de Fernanda Vasconcelos.




A maçã proibida: Um século do sexo e pecado em New York

Apesar do título sugestivo “The Forbidden Apple: A Century of Sex & Sin in New York City” algo que poderíamos traduzir livremente como “A maçã proibida: Um século do sexo e pecado em New York”, o novo livro da escritora Kat Long fala abertamente sobre a repressão sexual e mostra que tanto a revolução sexual quanto a repressão em torno do tema a favor da moralidade e bons costumes iniciaram na “Big Apple”, carinhosamente apelidada a cidade de New York.




Filme: Eu te amo cara

Estréia nesta sexta-feira o filme “Eu te amo cara”. Uma comédia rasgada que trata da amizade entre dois homens e o universo masculino. O filme já tem dado o que falar. O protagonista é ninguém menos do que Paul Rudd (Ligeiramente Grávidos).

No filme ele interpreta Peter Klaven, um homem intensamente apaixonado por sua noiva. Porém Peter se vê num dilema quando ridicularizado em público por sua família por não ter amigos e nem o padrinho de seu próprio casamento.




A pornart da dupla Luigi e Luca

Para amantes ou não do mundo da fotografia, uma dupla tem deixado de queixo caído até mesmos os conservadores de plantão. O projeto de Luigi e Luca dois fotógrafos italianos e amantes que resolveram mostrar ao mundo seus amores e desejos fora das quatro paredes. O projeto dos fotógrafos começou há cerca de um ano atrás quando ambos decidiram exibir em forma de fotos os medos, anseios e desejos de um relacionamento homossexual, no caso em questão dos próprios artistas.




O mundo do artista Paul Richmond

Se você é moderno, descolado, curte desenhos e pinturas, vai adorar saber que quem vem se destacando no meio artístico internacional é um pintor homoerótico que ainda vai dar o que falar. Estamos falando de Paul Richmond.

Este jovem artista passa para suas telas anseios e desejos do público gay, muito bem observado na visão do artista. Seus quadros traduzem em cores forte e gestos expressivos poses do dia-a-dia muitas vezes esquecidas que passam quase que despercebidas.




Bullying é tema de livro infantil lançado em Curitiba

Lançado em 2008 pela Editora Pró Infanti, de Curitiba, o livro “Eu me chamo Pedro. Você me chama Baleia.” (20p.), de Geraldo Peçanha Almeida, explora e revela o universo das brincadeiras de infância que marcam um homem por toda a vida. Com majestosas ilustrações de Rafael Tszeciak Corrêa e acabamento único, todo impresso em preto e branco, a história é contada com muita sensibilidade e fala sobre os sentimentos de um rapaz que sofria preconceito na infância.




Trans.Veadas se apresenta em Florianópolis neste final de semana

Florianópolis vai parar neste final de semana. Tudo porque rola na Capital o espetáculo Trans. Veadas, da Cia Expresso Produções. A peça estará em cartaz nos dia 03, 04 e 05 de abril, no Teatro da Ulbro e marca os seis anos da Cia teatral. O roteiro da peça promete ser ousado e polêmico. Feito a partir de um estudo sobre o universo das drag queens, oferece trechos com muito humor e improviso.




Assistimos a peça O Crime do Padre dos Balões

Estreou neste domingo, 22 de março, às 24h, no Festival de Curitiba, a mais nova peça do diretor paranaense César Almeida, que tradicionalmente traz espetáculos com temas GLS e direcionados à comunidade gay por meio da companhia Rainha de Duas Cabeças que há 25 anos faz montagens no melhor estilo underground. Mais uma vez, o provocativo texto de “O Crime do Padre dos Balões” questiona, choca, diverte e faz pensar.




Festival de Curitiba 2009, assistimos: Homossexual Sim. Viado Não!

Com imenso prazer comparecemos à estréia da peça “Homossexual Sim. Viado Não!, que estreou no dia 19 de março, à meia-noite, no teatro das Faculdades Bagozzi, em Curitiba, dentro da programação da mostra Fringe do Festival de Curitiba. Uma criação do diretor Treat Serpa para o grupo do Teatro Saltimbancos de Curitiba.

Destaque para os atores experientes da peça que interpretam os pais e o psicólogo, para o estreante Dougla que interpreta o Carlinhos e convence como adolescente e para o bofe que aparece na peça sem camisa e não fala nada... nem precisava.




Década de 80: os anos mais gays de todos

Qual seria a relação dos anos 80 com a comunidade gay? Talvez seja pelas cores exóticas e acessórios marcantes, ou ainda quem sabe, por ser uma década de livre expressão, na qual as pessoas mostravam com orgulho seus pensamentos e atitudes, longe de barreiras e farsas. Se a palavra gay significa alegre, com certeza os anos 80 foram os mais gays de todos!




Guia GLS do Festival de Curitiba by Revista Lado A

Em sua 18ª. edição, o festival de Curitiba, antes Festival de Teatro, traz paralelamente festivais gastronômicos, de ilusionismo, de teatro infantil, debates, dança, lançamentos, na capital paranaense. Entre os dias 17 e 29 de março, Curitiba respira e transpira cultura com quase 300 peças entre a mostra oficial e a Fringe. Orgulho de todos os curitibanos, há 3 anos elaboramos o GUIA GLS do Festival que é reproduzido por várias mídias.




Páginas