Últimas Notícias

Beijaço virtual: Beije, marque sede do governo russo como local e poste

Pessoas do mundo inteiro estão aderindo a uma inusitada campanha virtual criada por um grupo brasileiro. Com uso de aplicativos como Instagram, as pessoas estão postando fotos de beijos gays e marcando o local onde a foto foi tirada como o Kremlin, sede do governo russo, em Moscou. A campanha de sucesso tem como objetivo criar o maior beijaço do mundo contra o silenciamento da população LGBT na Rússia. “No Brasil, apensar da enorme violência, podemos lutar pelos nossos direitos”, aponta o grupo.



Polícia russa prende cinco ativistas LGBT que entregariam abaixo assinado ao governo

Desde que foi noticiado mundialmente que a Chechênia mantém campos de concentração para homossexuais, a Rússia – que proíbe com uma lei antigay qualquer “propaganda” da homossexualidade, vem sendo alvo de protestos e críticas. Esta semana, a polícia russa deteve cinco ativistas, em frente à Procuradoria Geral da Rússia, em Moscou, que buscavam entregar uma petição contra as ações do governo da Chechênia, território russo independente.



Bandeira LGBT gigante marca campanha estadual contra a LGBTfobia no futebol paraense

A final do campeonato estadual do Pará deste ano, que teve o clássico Paysandu contra Remo, RexPa, no tradicional estádio do Mangueirão, deu um grande exemplo no último domingo, dia 07 de maio com os jogadores com camisas com a escrita “Diversidade. Eu respeito e você?” e uma brande bandeira do arco-íris que deu volta olímpica no estádio nas mãos das  líderes de torcida dos dois times. O jogo foi vencido pelo Paysandu, por 2x1, que levou a taça Açaí.  



Para garantir embarque sem complicações adolescente trans americana ganha direito na Justiça brasileira

Uma jovem americana, igualmente cidadã brasileira, transexual, de apenas 16 anos de idade, contou com o apoio da família e entrou com processo de mudança de nome e gênero nos EUA e teve a decisão respeitada no Brasil por meio de liminar. Primeiro a mudança foi feita na Justiça americana, sendo concedido em março desse ano. Com p passaporte americano, emitido em abril, já traz o atual nome da jovem, no Brasil ela precisaria ainda apresentar os documentos com nome masculino. Para evitar o embaraço, a família decidiu garantir o uso de seu nome social nos aeroportos brasileiros.



Curitiba conta com vários eventos culturais LGBTs em Maio

A programação cultural da Cidade de Curitiba conta com três eventos importantes voltados para a temática LGBT no mês de maio. Os eventos são em homenagem ao Dia Internacional de Combate a Homofobia, que é celebrado no mundo todo no dia 17 de maio. Fazem parte do calendário a Exposição Temática - Personagens LGBTs, o Cinedebate - Websérie Her Story e a Roda de Leitura - Dia Internacional Contra a Homofobia.



Dono de Funerária dos EUA se nega a cremar corpo de idoso gay

Você já imaginou se uma Funerária desistisse de oferecer seus serviços, depois de tudo acertado, porque descobriu que o morto tinha sido gay em vida? Pois essa é uma história real e aconteceu no Sul do estado do Mississipi, nos Estados Unidos. Robert Huskey, 86 anos, era casado com John Zawadski antes de falecer em maio do ano passado. A família do morto contratou os serviços de cremação da Picayune Funeral Home. Estava tudo certo para a empresa agilizar o processo de cremação do corpo, só precisava da documentação de liberação.



8 homens são presos por organizar “festa gay” na Indonésia

A Indonésia sempre esteve nos radares dos Direitos Humanos pela forma que os seus regulamentos regionais punem mulheres e LGBTs. Depois dos dois homens condenados a 100 chibatadas na província livre de Aceh, foi a vez de um grupo de 14 homens serem autuados pela lei anti-pornografia do país e pelo crime de organizarem uma “festa gay”, na cidade de Surabaya.
 
O chefe da polícia local Shinto Silitonga explicou que os homens foram pegos em flagrante em um quarto de hotel da segunda maior cidade da Indonésia.



Casal gay de idosos carioca é espancado e expulso de vila onde moram

O engenheiro Flávio Miceli, 60 anos, e o funcionário público Eduardo Michels, 62 anos, envolveram-se em uma briga na vila em que moravam, na Tijuca, no Rio de Janeiro, na noite de 21 de abril, quando foram reclamar das festas constantes e o som alto. Segundo o casal, os moradores do residencial aproveitaram a discussão para agredi-los fisicamente e verbalmente por conta de suas orientações sexuais. Flávio ainda carrega as marcas no corpo do espancamento, sua cabeça não para de doer e ainda tem dificuldades para enxergar com um dos olhos.



Páginas