cinema

Call Me By Your Name: filme gay aclamado pela crítica estreia em janeiro no Brasil

Call Me By Your Name é um drama franco-ítalo-brasileiro-estadunidense que foi exibido pela primeira vez no Festival de Cinema de Sundance, em 22 de janeiro de 2017. A partir disso, o filme foi enormemente elogiado pela crítica, inclusive com uma nota quase perfeita no Rotten Tomatoes (site especializado em críticas de filmes). Ainda, o drama é uma das apostas para o Oscar 2018.



Curta com temática trans no Sertão é selecionado pela TV Cultura e Rede Globo

Fruto de um projeto universitário, o curta-metragem “Tica, a Rainha do Reisado”, teve sua proposta de produção audiovisual aceita pelo projeto Curtas Universitários, do canal educativo Futura em parceria com a Rede Globo e a Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), importante elo entre o conhecimento científico e a população. 
 
A iniciativa de produção do curta partiu do programa Sertão Transviado, da Universidade federal do Cariri (UFCA), associado à Pró-reitoria de Cultura (PROCULT), em Juazeiro do Norte/BA.



Curitiba tem exibição de filme gay Corpo Elétrico esta semana

Estréia neste fim de semana em Curitiba, o drama “Corpo Elétrico”, primeiro longa-metragem do diretor Marcelo Caetano. O filme conta a história de Elias, 23 anos, gay, nordestino e começando a vida adulta em São Paulo, onde ele divide seu tempo entre trabalhar numa fábrica têxtil e ter vários relacionamentos casuais com homens, onde vamos descobrindo cada vez mais sobre sua personalidade. 



Mais 5 curtas e webséries gays nacionais que você encontra no YouTube

Uma das maravilhas da internet é a possibilidade de consumir produtos culturais específicos sem sair de casa. Com o boicote dos cinemas e locadoras a filmes e séries LGBTs em cidades conservadoras, seria impossível assistir esses títulos sem a ajuda do YouTube. Desde histórias com roteiros para consumo fácil, como do garoto que se apaixona pelo melhor amigo com o qual fazia brincadeirinhas, até discussões sobre heteronormatividade e homofobia.
 
A Lado A separou uma lista com alguns curtas e web séries pra você assistir no feriado prolongado que está vindo.



Carolina Ferraz vive trans em nova produção do cinema nacional

O filme “A Glória e Graça - O que define quem pode ser mãe?” estreia nos cinemas do Brasil na próxima quinta-feira e traz uma história inusitada interpretada por Carolina Ferraz. A atriz Global interpreta uma travesti que ficou 20 anos sem falar com a irmã, Graça, e se vê obrigada a cuidar dos sobrinhos porque Graça enfrenta um aneurisma. O filme questiona o preconceito e a construção do papel de mãe sendo apenas para mulheres cis.
 
O projeto do filme encontrou dificuldades para sair do papel, uma vez que trabalha a questão de gênero.



“Meninos Tristes” debate bullying, depressão e falta de apoio dos pais aos filhos gays

Uma websérie de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, está dando o que falar. Meninos Tristes, “Blue Boys” em inglês, estreou o seu primeiro episódio na internet em fevereiro de 2016. A história fala sobre bullying na escola, preconceito que jovens gays sofrem de outros estudantes e a falta de apoio familiar. São três episódios que contam a história de André e Diego. A obra tem roteiro e direção assinados pelo cineasta Daniel Castilhos.
 
Produzida em parceria da Hellas Filmes com a Escola de Atores TV & Cinema, o projeto é inspirado em um curta de 2011.



Moonlight: "Sob a Luz do Luar" estréia no Brasil e pode ser a surpresa do Oscar 2017

Indicado a oito Oscar, inclusive o de Melhor Filme, Moonlight é apenas a segunda obra do diretor Berry Jenkins e surpreende pela poesia da solidão e do autoconhecimento numa história sobre um garoto negro que viveu em Miami na década de 1980 e enfrentou  confusão para descobrir sua sexualidade. O longa foi censurado para ser transmitido na Índia, onde cortaram cenas de sexo e de um beijo gay.




Dois filmes que vão dar o que falar: "Discreet" e "Call me by your name"

O Festival Internacional de Cinema de Berlim, também conhecido por Berlinale, de 2017 já é considerado o mais queer da história, ao trazer títulos que mexem com a diversidade de uma maneira sensível e bem real. “Call me by your name” surgiu de forma arrebatadora e está conquistando os críticos da cidade. Com distribuição garantida no Brasil pela Sony, ele promete muito ao lado de “Discreet”, que aborda as relações de homens brancos e negros dentro do armário em um Texas conservador.



Páginas