esportes

Imperdível, participe: Festival de Curitiba começa com Gaymada na Praça Osório

O Festival de Curitiba é o maior evento cultural do Paraná e até mesmo do Sul do país. Reconhecido por suas apresentações de teatro e dança, o evento traz novas manifestações e intervenções na edição de 2017. O “Campeonato Interdrag de Gaymada”, organizado pelo coletivo Toda Deseo, de Belo Horizonte,  fará intervenções na Praça Osório e no Passeio Público nos dias 29 e 30 de março, em uma tentativa de discutir a diversidade de gênero no espaço público.



Trans brasileiras são autorizadas por federações de vôlei para atuar em times no Brasil e na Itália

A participação de atletas trans em equipes esportivas de qualquer naipe e em qualquer país do mundo ainda é assunto para polêmicas. Recentemente, a atleta goianiense Tifanny Abreu conquistou o direito de competir entre as mulheres na Liga B de vôlei italiana, com autorização da Federação Internacional de Vôlei. Mas as diretorias dos outros times caíram em cima.



Rio de Janeiro pode sediar o Gay Games em 2026

A Fundação Cesgranrio e o Instituto de Pesquisas e Estudos do Turismo do Rio de Janeiro revelaram no início do mês uma pesquisa sobre o perfil do turista LGBT que frequenta o Rio de Janeiro. 70% desses turistas aprovam a cidade como gayfriendly, o que, desta forma, coloca a cidade nos radares de grandes eventos internacionais, como o Gay Games, realizado a cada 4 anos. 




Fifa 17 tem kit do arco-íris com uniforme contra a homofobia

O jogo Fifa Ultimate Teams 2017, da EA Sports, em sua 24ª edição, simula os times de todo o mundo e este ano os jogadores podem baixar  uma opção de um kit com um uniforme com as cores do arco-íris. Os kits são populares entre os jogadores que podem personalizar seus times e jogar contra pessoas de todo o mundo online. O jogo é um dos mais lucrativos da história e muito popular.



Campeonato inglês tem rodada com as cores do arco-íris contra a homofobia

No último final de semana, os 20 times da liga principal inglesa, a Premier League, foram convocados para colocar mensagens de apoio e as cores do arco-íris em seus jogos e redes sociais, em apoio à campanha Rainbow Laces do grupo Stonewall. Cadarços coloridos, flâmulas e declarações contra a homofobia fizeram parte desta rodada em todos os 10 jogos do final de semana. Mas muitos times e jogadores não aderiram.



Drags de Curitiba se unem para partida anual de futebol beneficente

Todos os anos, um grupo de drag queens de Curitiba se mobiliza por uma boa causa: arrecadar alimento para doar para lares que atendem crianças carentes na capital paranaense. Este ano, na quarta edição do evento, o time Bonitas Football Club enfrenta o Beleza Football Club no próximo dia 20 de Novembro em uma cancha no bairro Rebouças. A entrada para assistir a partida é um quilo de alimento.



Futebol: CBF é multada e advertida por homofobia de torcedores pela FIFA

Os gritos homofóbicos de torcedores brasileiros no dia 6 de setembro, na Arena da Amazônia, em Manaus, no jogo Brasil x Colômbia, pelas Eliminatórias da Copa 2018, da Rússia, não passaram despercebidos. A entidade responsável pelo futebol brasileiro terá que pagar uma multa de 20 mil francos suíços (R$ 71,7) e foi ainda advertida pela Fifa. O anúncio foi feito na semana passada e outros 11 países foram advertidos por manifestações discriminatórias ou antidesportivas dos fãs, enquadrados no Artigo 67 do Código Disciplinar da FIFA (FDC).



I Reis da Areia da Lado A agitou amantes do vôlei em Curitiba

A Lado A, em comemoração aos seus 10 anos, realizou no último sábado, dia 1° de outubro, a primeira edição do evento esportivo Reis da Areia, de duplas de vôlei de praia, no Parque Barigui. Mais de 32 duplas se inscreveram no evento que acabou sendo transferido do domingo anterior em razão da forte chuva que caía naquela manhã. Os atletas amadores podiam formar duplas mistas ou não e o campeonato, em estilo mata-mata, e reuniu na nova data 42 pessoas de todos os estilos, até uma dupla formada por pai e filho, além de uma torcida animada.



Olimpíada do Rio traz à tona a diversidade e a homofobia no Brasil e no mundo

Apesar de as Olimpíadas do Rio 2016 serem consideradas a mais LGBT de todos os tempos, tanto pelo número recorde de atletas homossexuais quanto pela mensagem de inclusão nos jogos, essa edição também mostrou a homofobia brasileira e do mundo. O atleta brasileiro da marcha atlética, Caio Bonfim, chegou em quarto lugar e falou sobre o preconceito que sofreu durante o seu treinamento em Brasília.



Nike apresenta atleta transgênero Chris Mosier em novo comercial

A Nike está com uma série de propagandas da campanha “Unlimited Courage” - coragem sem limites, cujo objetivo é falar sobre a superação dos limites pessoais. Em um dos seus vídeos, ela traz um freira de 86 anos que é triatleta. Mas um dos maiores destaques é o atleta transgênero Chris Mosier, da equipe de duathlon e triathlon dos Estados Unidos. A propaganda conta um pouco sobre a história do atleta e fala sobre a inclusão no esporte. 
 
Mosier é o primeiro atleta trans dos Estados Unidos a fazer parte de uma equipe nacional.



E teve mais um pedido de casamento gay nas Olimpíadas do Rio

Nós já havíamos falado que o atleta britânico da Marcha Atlética, Tom Bosworth, era gay e estaria participando das Olimpíadas no Rio. Sua participação na competição não lhe rendeu medalhas, terminando em 29º lugar, mas a vinda para o Brasil trouxe um momento que também será para toda a vida: ele pediu seu namorado, Harry Dineley, em casamento.
 
As areias das praias cariocas foram escolhidas para ser o cenário da consagração desse amor.



Nossa lutadora medalhista de ouro no judô é lésbica e feliz

A judoca Rafaela Silva, primeira medalhista de ouro pelo Brasil nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, conta com uma história linda de superação. Mulher, negra, da favela e lésbica, Rafaela sofreu muita opressão e preconceito ao longo da sua carreira, inclusive dos brasileiros, que a chamaram de “macaca” quando foi eliminada nos jogos de Londres, em 2012.
 
Rafa nunca falou publicamente sobre sua orientação sexual porque prefere ter privacidade no seu relacionamento. Mas a judoca namora há quase três anos a ex-judoca e campeã sul-americana duas vezes, Thamara Cezar.



Rio 2016: Torcida brasileira é homofóbica durante partidas de futebol

Atletas da seleção de futebol dos Estados Unidos, Austrália e Canadá denunciaram a homofobia em gritos da torcida brasileira em suas partidas de estreia. Além de insultarem a goleira norte americana, Hope Solo, ao chamarem ela de “Zika” por conta da sua campanha de conscientização sobre a doença tempos antes de vir para o Rio de Janeiro, a torcida chamou diversas atletas de “bicha”.



Transexual se emociona com oportunidade de chefiar voluntários nas Olimpíadas

A organização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e o Comitê Olímpico Internacional estão sinalizando o acolhimento da comunidade LGBT nos jogos. Exemplo disso é a transexual Camila Barros, selecionada para ser uma entre os 50 mil voluntários que vão atuar na organização das Olimpíadas. A trans, que revela ter dificuldade para encontrar emprego, será uma das líderes de voluntários e atuará nas provas de ciclismo de estrada e maratona aquática. 
 
Camila decidiu passar pela transição há sete anos, quando seu pai morreu.



Ian Matos, o único atleta masculino gay assumido do Brasil nas Olimpíadas

Ian Matos, 27 anos, é um dos representantes da equipe brasileira nos Saltos Ornamentais. Medalhista sul-americano, o atleta assumiu sua homossexualidade em 2014, logo depois do seu rival Tom Daley, quando se mudou para o Rio de Janeiro para treinar no clube do Fluminense. Na edição dos Jogos Olímpicos de 2016, Ian é o único atleta homossexual do sexo masculino a representar o Brasil.
 
Ao se assumir, em 2014, o jovem contou com o apoio de vários amigos e atletas na mesma situação, além das irmãs.



RuPaul: “Eu nunca fui convidada para estar no programa da Ellen, do David Letterman ou e nem no Tonight Show”

Falsos boatos brasileiros dizem que ela seria atração confirmada no intervalo do Superbowl 2017, mas RuPaul, criadora do reality para escolher a nova superstar drag dos Estados Unidos Ru Paul´s Drag Race, deu uma entrevista importante para a publicação Vulture esta semana. Nela, a artista falou sobre a disseminação da cultura drag e como isso parece ser um fenômeno mainstream, mas na realidade não é. A justificativa é que fazer drag é justamente o oposto de se enquadrar no gosto dos outros.




Páginas