estudo

"Dá ou come?": Pesquisa verifica que padrões heteronormativos influenciam comportamento sexual gay

Um trabalho de pesquisa do estudante Alessandro Ribeiro Hafemann da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Maringá (UEM) aborda a curiosa vida sexual dos jovens homossexuais na cidade de Maringá. Apresentada no ano passado durante o do XI Seminário de Ciências Sociais da UEM, a pesquisa entrevistou jovens de 18 a 25 anos do município de 400 mil habitantes para verificar se eles seguem ou não os padrões heteronormativos e a influencia do mesmo na sexualidade do grupo.




Sexo e Drogas: uma perigosa combinação usada como forma de mascarar problemas de auto estima

Um estudo realizado pelo instituto de pesquisa Sigma, em parceria com a Escola Londrina de Higiene e Medicina Tropical, realizado nos últimos oito meses na capital inglesa, mostra de forma qualitativa uso de meth, GHB/GBL, mephedrone, e outras drogas, na comunidade gay local. Segundo o estudo, o uso das substâncias durante relações sexuais está relacionada com problemas de auto estima e aceitação. A pesquisa avaliou 1.142 homens gays e bissexuais da região de Lambeth, Southwark e Lewisham, e pesquisou mais a fundo o comportamento de 30 homens gays desta área.



Na margem da ambigüidade sexual

É raro encontrar beleza poética em um comunicado de imprensa. Especialmente, quando se está descrevendo o processo durante o desenvolvimento fetal, momentos antes de ocorrer a atribuição de sexo ao feto. Digo apenas - pense sobre: Como será estar na borda deste penhasco biológico? O que acontece se olhares além? O que espera lá do outro lado? Estariam preocupados em cair, esperando para pular, ou felizes vivendo no gume?



Um homem e uma mulher não é única configuração de família na Bíblia, afirmam teólogos

Nos EUA, em plena discussão sobre o casamento gay, três pesquisadores de importantes universidades de Ioma publicaram há 10 dias um estudo sobre a questão do casamento na Bíblia. Hector Avalos, Robert R. Cargill e Kenneth Atkinson são professores e afirmam que a Bíblia não coloca o casamento como algo entre um homem e uma mulher, ao contrário. Confira o texto na íntegra traduzido por nós:



Site mede uso de palavras homofóbicas como “que gay”, “sapatão”, “veado” e “sai biba” no Twitter

Quantas vezes as expressões “que gay”, “sapatão”, “veado” e “sai biba” – em inglês - são usadas em troca de mensagens na rede social Twitter são alvo de um estudo on line do Instituto de Estudos e Serviços para as Minorias Sexuais da Universidade de Alberta, no Canadá. Segundo a pesquisa coordenada pelo Dr. Kristopher Wells, desde julho, só a expressão “veado” em inglês ou “faggot”, como foi registrada, foi usada 2.5 milhões de vezes.