policial

Homem é vítima de roubo por cara do aplicativo que ameaça até seu cachorro

Mais um caso de polícia envolvendo homens desconhecidos em aplicativos de encontros gays. Desta vez, aconteceu em Boynton Beach, Flórida. No último final de semana, um homem, que preferiu não se identificar, marcou de encontrar por meio de um aplicativo de encontros Vadol Marquise Reed, de 22 anos, na sua casa. Dois homens encapuzados o abordaram, roubaram seus bens e ainda roubaram a casa e o cachorro da vítima.
 
Tudo aconteceu muito rápido. Ele estava chegando a casa de Reed quando dois caras com o rosto coberto saltaram e o abordaram.



Estado da Austrália revoga lei que protegia assassinos de LGBTs

Imagine no Brasil uma lei que protegeria assassinos de homossexuais com a alegação de defesa contra investidas. Pode parecer um absurdo, mas dois estados da Austrália contavam com uma legislação semelhante até que o Parlamento do estado de Queensland votou a reforma que revogou a lei do código penal. Conhecida como “Gay panic defense”, ou defesa por pânico contra gays, a legislação só está em vigor no estado da Austrália Meridional.
 
Em 2008, Wayne Ruks, 45, foi espancado até a morte no pátio da igreja católica St Mary de Maryborough.



Policiais serão interrogados sobre caso de Serial Killer do Grindr por ignorar evidências

Foi anunciado esta semana que 17 policiais de Londres, na Ingleterra, estão sendo investigados por uma comissão independente de reclamações sobre policiais por erros de condutas nas investigações sobre os casos dos jovens assassinados pelo serial killer Stephen Port, de 41 anos. Port teria matado quatro jovens num intervalo de cinco meses e, nesse intervalo, a polícia teria tratado as mortes como se não tivessem ligação.



Grindr se recusou a ajudar em caso de jovem desaparecido encontrado morto

O corpo de Dakota James, de 23 anos, estudante da Universidade Duquesne, na Pensilvânia, nos Estados Unidos, foi encontrado no Rio Ohio na altura de Robinson Township. Depois de mais de um mês desaparecido, o jovem foi encontrado morto sem suspeitas do que aconteceu. Ao longo das investigações do desaparecimento do jovem, a família de James e os investigadores tentaram obter acesso às mensagens e ao rastro do GPS do aplicativo Grindr usado pelo jovem.



Travesti é agredida até a morte e tem cenas de violência divulgadas na internet

A travesti Dandara dos Santos, 42 anos, foi morta no dia 15 de fevereiro depois de ser agredida por pelo menos 5 homens no bairro Bom Jardim, em Fortaleza. O crime só repercutiu agora, com a divulgação das imagens de agressão e violência verbal na internet. A travesti foi brutalmente agredida e apedrejada, sem ninguém intervir em sua ajuda. Após aguardar 20 minutos por socorro, morreu desamparada. 
 
O vídeo mostra três homens dando chutes e batendo em Dandara com pedras e chinelos.



Morre adolescente gay que teve mangueira de alta pressão colocada em seu ânus no trabalho

O crime aconteceu na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Perto das 22h da sexta-feira, 03, o dono de um lavacar ligou para a família de um dos seus funcionários informando que o garoto de 17 anos precisava ser levado ao hospital por conta de "umas brincadeiras". O ocorrido foi que o dono, de 20 anos, e outro funcionário, de 30, seguraram o garoto e inseriram uma mangueira de compressão de ar no ânus do garoto.
 
Encaminhado pela família para a Santa Casa, o adolescente precisou passar por uma cirurgia e foi parar na UTI por ter rebaixamento de consciência.



Amizade entre jovem evangélico e lutador acaba em tragédia no interior do Paraná

No dia 18 de janeiro, Messias Ricetto, 34, foi encontrado por policiais em sua casa, após a notificação dos vizinhos, gravemente ferido e amarrado com fios em Bandeirantes, no interior do Paraná, a 450 quilômetros de Curitiba, no Norte do Paraná. Depois de 23 dias internado, o rapaz veio a óbito em Londrina. Estima-se que ele foi torturado e tenha ficado mais de 24 horas amarrado.



Polícia conclui investigações sobre caso de mãe que matou adolescente gay em SP

O assassinato de Itaberli Lozano Rosa, de 17 anos, no dia 29 de dezembro chocou não só a sua cidade, Cravinhos, SP, como o Brasil todo. Os principais suspeitos do crime são a mãe do garoto, o padrasto e outros dois jovens. A Polícia Civil da cidade concluiu o inquérito no último final de semana e, apesar de responsabilizar a mãe pela morte da criança, sugeriu a hipótese de que isso só aconteceu porque ela se sentia ameaçada por Itaberli.



Depois de sofrer assalto, casal gay passa por situação lamentável em frente a balada

Na madrugada desta quinta-feira, os namorados Luis, 25 anos, e Cristiano, 19 anos, saíram a pé de uma balada alternativa por volta das 4h30 da madrugada no bairro Mercês quando uma quadra depois foram abordados por dois casais de assaltantes que os renderam. Os ladrões levaram celulares e carteiras. Enquanto Luis foi abordado pacificamente, Cristiano foi agredido violentamente por um dos criminosos com chutes e pontapés, mesmo sem mostrar reação ao assalto. O homem tentou esfaquear Cristiano que se defendeu segurando a lâmina, provocando um corte em sua mão.



A barbárie da morte do homem que ousou defender uma travesti no Metrô de São Paulo no dia de Natal

Não é Aleppo, é Brasil. Não é qualquer cidade, é São Paulo, a maior metrópole da América do Sul. Não foi em um beco, foi em plena estação do Metrô. Há algo errado, muito errado. Certo estava o homem, o vendedor ambulante Luiz Carlos Ruas, 54 anos, que foi defender uma travesti perseguida por dois homens aos berros de “vamos matar”. Ele acabou morto no dia de Natal. O crime ocorreu por volta das 20h deste domingo, dia 25.



Morte misteriosa de companheiro de trans em Curitiba vai parar nas páginas policiais

Uma misteriosa morte ocorrida na madrugada desta segunda-feira, em Curtiba, mostra como a mídia ainda age com transfobia em casos que envolvem transexuais e travestis. O caso em questão é a morte do companheiro de uma transexual, ele encontrado morto e ela ferida, no apartamento onde moravam no Centro de Curitiba. Primeiro, os veículos de comunicação não trataram a vítima sobrevivente, Scarlet Prates, 30, com seu nome social, além de divulgarem seu nome de registro, e ainda a trataram o tempo todo no masculino. Ou como travesti, enquanto ela é uma mulher transexual.




Páginas