política

Rússia proíbe divulgação de montagem do presidente Putin como drag queen e novas imagens viralizam

O Ministério da Justiça da Rússia proibiu nesta semana a veiculação de qualquer imagem que contenha o presidente Vladimir Putin usando maquiagem, seja em alusão a drag queens ou a uma orientação sexual não tradicional. A imagem entrou na lista de itens “extremistas” que não podem ser compartilhados e pode acarretar em prisão para quem descumprir a decisão. A lista foi criada em 2013 e conta com 4074 itens.
 
Um porta-voz do Governo Russo afirmou que a decisão vai na mesma direção da legislação contra propaganda que incentivem orientações sexuais fora do padrão.



Drag queen RuPaul se posiciona contra Michel Temer no Instagram

A maior referência mundial da arte drag, RuPaul, posicionou-se na manhã de hoje, 07, contra o presidente do Brasil, Michel Temer através de uma arte postada em sua conta no Instagram. Na foto, um grupo de pessoas, possivelmente em uma marcha na rua, carregam um cartaz com duas fotos da drag queen, usando o seu bordão “Shantay, You stay” e “Sashay away”.
 
O texto diz: “Dilma. Shantay, You Stay. Teme, Sashay away”. A tradução pode ser considerada um apoio a ex presidente Dilma Rousseff e contrária a posse do atual presidente Michel Temer.



Ministra dos Direitos Humanos se reúne com prefeito e coordenadores de Curitiba

O prefeito Rafael Greca, a primeira dama Margarita Sansone, e a equipe de Direitos Humanos de Curitiba se reuníram com a Ministra dos Direitos Humanos do Governo Federal, Luislinda Valois, na segunda-feira, 20, para debater sobre os planejamentos e programas da Prefeitura direcionados às minorias sociais. Durante o encontro, a ministra elogiou a Casa da Mulher Brasileira e recebeu a promessa do prefeito para que os Direitos Humanos sejam prioridade em sua gestão. 



O amor está no ar: Prefeito gay se casa com companheiro no interior de São Paulo

O amor está no ar na cidade de Lins, em São Paulo! O Prefeito reeleito da cidade, Edgar de Souza (PSDB), 38, casou-se com o seu parceiro, o empresário Alexsandro Luciano Trindade, 35. O evento, que selou uma união de 13 anos do casal, aconteceu em um salão de festas da cidade do interior paulista no último dia 04 de março. Apesar de não contar com mais de 300 convidados, a celebração repercutiu no Brasil todo.
 
Edgar e Alexsandro se conheceram quando Edgar tinha 17 anos e fazia um estágio na prefeitura da cidade como office boy.



A homofobia, infelizmente, é um crime organizado

Ultimamente, vemos com frequência termos "gayzistas" ou "feminazi" usados contra grupos militantes de homossexuais e de feministas, sendo usados por quem discorda de seus posicionamentos, às vezes considerados “exagerados” de forma proposital. Pois foi exatamente o nazismo que aplicou uma desumanização em nome da sua supremacia para exterminar então judeus, homossexuais, negros, e quem fosse contra seu sistema repressor.



Vergonha: Fidelix é condenado a pagar apenas R$25 mil por homofobia em debate presidencial

Levy Fidelix, presidente do partido PRTB e ex-candidato à presidência, foi condenado pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania a pagar R$ 25 mil por declaração homofóbica feita em debate em rede nacional. A multa é considerada abaixo do esperado por crimes de ódio que atingiram tamanha magnitude. Entretanto, a condenação é importante para evitar novos casos.
 
Em um dos debates presidenciais em 2014, em TV aberta, a então candidata Luciana Genro perguntou a Levy Fidelix sobre suas propostas de políticas para a população LGBT.



Trump: LGBTs em elerta nos EUA e, apesar de discurso, a guerra já começou

 
Durante a sua campanha à presidência do Estados Unidos, Donald Trump evitou atacar publicamente a comunidade LGBT. Inclusive, levantou a bandeira do arco-íris num comício no Colorado, onde se lia “LGBTs for Trump”. Foi quando falou que buscaria proteger os direitos já conquistados pelos gays, lésbicas, bissexuais e transexuais. Mesmo depois de eleito, a Casa Branca reafirmou esse compromisso.



Gays, latinos e negros americanos tem medo da perda de direitos e espaços no governo Trump

A eleição do presidente conservador Donald Trump, que tomou posse este mês nos Estados Unidos, colocou a comunidade LGBT do país em alerta e estado de profunda preocupação. Apesar de algumas poucas declarações em defesa da diversidade, o posicionamento anti-LGBT da sua política é claro. A nomeação de políticos que sempre votaram contra projetos de leis a favor da comunidade é um dos pontos preocupantes.




Ex ministro gay denuncia tráfico de influência no governo Temer

São poucos os gays assumidos na política brasileira e não podemos deixar de elogiar o ex ministro da Cultura Marcelo Calero, único LGBT no primeiro escalão do governo Temer, que pediu demissão na semana passada. Esta semana, soube-se o motivo: ele foi pressionado a retirar um embargo da obra de um prédio em Salvador em que o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima e sua família teriam investido. Geddel pediu demissão nesta sexta-feira, depois do escândalo aumentar.



Antes de sua virada final, Trump exibiu bandeira do arco-íris

Menos de dez dias antes das eleições, quando estava perdendo nas pesquisas para Hillary Clinton, o candidato eleito a presidente dos EUA Donald Trump fez um comício no Colorado, no dia 31, onde ostentou uma bandeira do arco-íris no palco. O material foi fornecido pelo grupo LGBT for Trump, liderado por ativistas e conta com o apoio do bilionário Peter Thiel, um dos fundadores do Paypal e investidor do Facebook. Thiel discursou no Partido Republicano defendendo Trump nas prévias e entrou de cabeça na campanha.



Vereadores de Curitiba negam título de utilidade pública para ong gay

O Instituto Brasileiro de Diversidade Sexual, Instituto Dignidade, teve seu pedido de utilidade pública negado em segunda sessão na Câmara dos Vereadores de Curitiba no última segunda-feira. Apesar de já aprovado antes das eleições, a segunda votação foi postergada para depois das eleições, por 25 sessões, depois de confusão montada pela bancada evangélica. O prazo não foi cumprido e a votação pode vir a ser anulada.



Candidato a prefeito de Curitiba dá resposta mito sobre sexualidade e viraliza

O candidato a prefeito Rafael Greca de Macedo, do PMN, de Curitiba, que disputa o segundo turno da capital paranaense neste Domingo, viralizou mais uma vez, nas redes sociais, agora por conta de uma resposta que deu em janeiro deste ano, no programa Direto ao Ponto, da Rede Mercosul, da Record News Paraná. Esta semana, as imagens com a resposta polêmica ressurgiram nas redes sociais em postagem da página XV Curitiba.



Depois de comentário homofóbico, deputado do PSC se elege prefeito de Cascavel

Lonaldo Paranhos, PSC, tem um longo histórico de militância em Cascavel, PR, de 300 mil habitantes, a 500 km de Curitiba, onde se elegeu neste final de semana, no primeiro turno, como prefeito da cidade, com 51% dos votos válidos. Ex bóia fria, fez parte do movimento estudantil e depois da política da cidade até chegar à assembleia estadual, onde teve dois mandatos consecutivos. 



12 LGBTs assumidos são eleitos por todo o Brasil, entre eles um prefeito

Um candidato LGBT se elegeu prefeito em Itapecirica, Minas Gerais, e um total de 11 candidatos/as LGBT a vereadores se elegeram nas cidades de Campo Grande-MS, Cruz Alta-RS, Florianópolis-SC, Palmares-PE, Patos de Minas-MG, Pimenta Bueno-RO, Rio de Janeiro-RJ, São Joaquim da Barra-SP, São Paulo-SP e Uberlândia-MG. O acompanhamento foi feito pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros, ABLGT.



ABGLT divulga a primeira lista de 51 candidatos LGBT e aliados nas eleições municipais de 2016

A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Travestis divulgou no último sábado, 10 de setembro, a primeira lista de candidatos LGBTs e aliados da comunidade para as eleições de 2016. São apenas 51 nomes para vereador em todo o país e nenhum para prefeito. Entretanto, a lista apresenta apenas candidatos que preencheram o formulário de compromisso com as pautas LGBTs, o que não representa o número real de candidatos.



A política brasileira e o círculo vicioso da corrupção

O atual sistema eleitoral brasileiro incentiva a corrupção tão combatida e condenável aos representantes do povo. Um exemplo desta afirmação é o abastecimento do caixa dois de campanhas por doações ilícitas e de dinheiro proveniente de desvio de verbas. Essas práticas são comuns em todo o país e são justificadas pelos políticos como “necessárias” para a reeleição e a manutenção de seus cargos.



Páginas