Arquivo importado

Síndrome do intestino irritável é mais freqüente do que se imagina

Redação Lado A 19 de Junho, 2009 03h00m

COMPARTILHAR


A Síndrome dos Intestinos Irritáveis é considerada uma doença comum do mundo modernos, dada a forte pressão psicológica que sofremos nos dias de hoje. Segundo os médicos proctologistas, de 30% a 40% das queixas de pacientes em seus consultórios apontam para a síndrome. Se você está sempre com desarranjos e dores abdominais, pode ser mais um sofredor desta .


Causas
A Síndrome dos Intestinos Irritável (SII) provavelmente se deve a um distúrbio da contração da musculatura dos intestinos produzida por motivos diversos, tais como o acúmulo de muco e hipercrescimento de bactérias produtoras de gás na luz intestinal. Segundo Branco, “A comprovação cientifica mais recente relaciona esta síndrome com a diminuição no intestino de uma substância conhecida como Serotonina, conceituada como um neurotransmissor e diretamente relacionada com o bom humor explicando a grande participação do componente afetivo presente nos pacientes com esta síndrome”.


A verdadeira causa ainda está a ser pesquisada, mas já se sabe que podem ter fundo bacteriano, alimentar, emocional e hormonal. Alimentos com corantes, mariscos, leite, trigo e dietas com pouca fibra, parecem desencadear o agravo do quadro. Tudo o que fermenta no corpo (massas, pães, café e açúcar), alérgicos (leite, mariscos e corantes), álcool, gordurosos e doces (chocolate, biscoitos, bolos) pioraram os sintomas da SII.


Os principais sintomas vistos em mais da metade dos pacientes são: ansiedade, depressão, palpitações, tonturas, tremores e suor em excesso que sabidamente aumentam a contração da musculatura intestinal. Dor abdominal do tipo cólica e sensação de estômago cheio, náuseas e/ou vômitos, distensão abdominal, dor de cabeça, flatulência e cansaço fácil são alertas do corpo que podem sugerir a síndrome. Em todos os casos, a ida ao banheiro é acima do normal e a consistência das fezes é geralmente de pastosa a líquida.


Para efetuar o diagnóstico, um médico deve avaliar os sintomas e pode confirmar a suspeita com exames complementares como: hemograma, cultura (Bactéria), parasitológico de fezes, testes para detectar a alergia alimentar, raio X dos intestinos ou endoscopia/colonoscopia. O doutor Paulo Branco afirma que “estes exames, geralmente são normais e com a palpação em dois pontos do abdômen eu praticamente confirmo o diagnostico da síndrome e os exames deveram ser solicitados para o diagnostico diferencial com outras afecções dos intestinos”.


É relatado também pela clínica médica que pacientes homossexuais com esta síndrome referem um peso retal e eliminação de gases e/ou fezes durante a relação e o tratamento desta síndrome melhora em muito estes sintomas.


Além de uma reeducação alimentar, é preciso em muitos casos apelar a medicamentos que regulam a serotonina, e também repositores da flora intestinal. Se você sofre com desarranjos constantes, é bom pensar em descobrir se sofre com a Síndrome, que atinge um a cada cinco adultos brasileiros.


Dr. Paulo Branco – www.medicinaintegrada.med.br

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR


COMENTÁRIOS