Arquivo importado

Saúde: Beijo na boca tem lá seus riscos, saiba quais são.

Redação Lado A17 de Fevereiro, 201416h25m

COMPARTILHAR

TAGS


Beijar na boca pode te trazer muito mais do que uma paixonite e segundos de prazer. Um mililitro de saliva pode conter até 150 milhões de bactérias, transmitir cárie, gripe, viroses, mononucleose, herpes bucal e até hepatites. Durante um beijo, as pessoas trocam saliva, composta por 99% de água, amilase (enzima digestiva que decompõe o amido contido nos alimentos), sais minerais e uma gama de micro-organismos. O risco é aumentado para quem tem problemas na gengiva, pois facilita a entrada dos agentes patogênicos.

Já que 90% dos brasileiros sofrem de algum grau de doença periodontal, os riscos não são pequenos. Por isso, neste caso, a higiene bucal é importante. O Herpes Labial é outra infecção que se dá através do contato direto com lesões infectadas pelo vírus. Não existe cura para este tipo de doença, somente o tratamento que visa diminuir a freqüência com que o vírus se manifesta. Em casos mais raros, HPV e a temida hepatite C podem ser transmitidas pela saliva, se a imunidade do receptor estiver baixa e o vírus passar pelas defesas do corpo, tendo sua entrada facilitada também por fissuras na boca.

A Mononucleose Infecciosa é o nome científico da enfermidade popularmente conhecida por “Doença do Beijo”, um mal que comumente afeta principalmente jovens entre os 15 e 25 anos de idade. Quem pega o vírus pode não desenvolver os sintomas, que são similares ao de uma gripe comum: febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo e linfonodos aumentados. Dessa forma, o quadro viral comum é substituído por condições clínicas, na qual o indivíduo evolui com complicações, como o aumento do fígado de forma discreta, aumento do baço, erupções cutâneas e infecção grave na orofaringe.

O considerado inofensivo beijo pode até transmitir a bactéria meningocócica aumentando o risco, em quarto vezes, de contraírem meningite, segundo pesquisa australiana com adolescentes, que pregam o “beijar muito”. O dentista Aonio Genicolo Vieira, de São Paulo, alerta: “Beijar é muito bom e gostoso desde que sem promiscuidade, para que você não corra o risco de se contaminar” e conclui: ” evite troca frequente de parceiros, tenha sempre uma boa higiene bucal e visite sempre um dentista a cada 6 meses”.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS