Arquivo

Suspeitos do assassinato de cabeleireiro de Colombo alegam que foram assediados pela vítima

Redação Lado A 23 de Outubro, 2015 18h53m

COMPARTILHAR

TAGS


No início deste mês, o cabeleireiro Matheus Kenedy Silva (foto esq.), 21 anos, foi morto no estacionamento de um supermercado em Colombo, região metropolitana de Curitiba. O crime ocorreu de madrugada e a vítima era sabidamente homossexual. Acompanhamos de longe o caso por entender que se tratava de um caso de latrocínio, roubo seguido de morte, mas a homofobia no caso surgiu esta semana quando os dois suspeitos foram presos e confessaram que mataram Matheus depois de terem sido cantados por ele.

A Lado A entrou em contato com o delegado Erick Busetti, responsável pelo caso que nos elucidou os depoimentos dos acusados Afonso Henrique dos Santos, de 22 anos, e Fernando Nicolas dos Santos, de 30, (foto à dir.) presos esta semana em Curitiba, depois de cometerem mais um crime. Em depoimento, os assassinos alegaram que o tiro que matou Matheus, dado por Afonso, que está com a mão machucada, foi acidental e que eles foram até a vítima depois que ela, de carro, os cantou e parou à frente para esperar eles. Para o delegado, os dois querem justificar o crime e tentar minimizar o que está claro: foi um latrocínio, já que evadiram no carro da vítima, encontrado posteriormente depenado.

O momento do crime foi gravado por duas câmeras de segurança no local que já estão em análise na perícia. Nos vídeos, segundo o delegado, é possível ver que há um diálogo prévio, que os rapazes entram no carro de Matheus, há o tiro, e em seguida Matheus sai do carro (já baleado, tenta pedir socorro e cai próximo à estrada do Ribeira, onde seu corpo foi encontrado), enquanto os acusados fogem em seu veículo, um Fiat Uno. Para a polícia é um mistério se a vítima já conhecia ou não os assassinos. Todavia seu celular e computador não foram periciados.

A alegação dos assassinos pode ser usada contra eles em uma possível condenação por latrocínio. A hipótese de tiro acidental deverá ser analisada pela perícia técnica que irá apresentar no próximo mês as suas conclusões. Se condenados por latrocínio com os agravantes de não oferecer defesa, socorro e por homofobia, os assassinos de Matheus podem pegar mais de 30 anos de detenção.

Se você tiver mais informaçõe sobre o caso, entre em contato com a polícia do Alto Maracanã, em Colombo (41 3605-6558).

 

 
Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS