Arquivo importado

Blumenau: Evangélicos espalham balões e cartazes com mensagens excluindo novas famílias

Redação Lado A 09 de Dezembro, 2017 21h33m

COMPARTILHAR

TAGS


Diversas cidades de Santa Catarina amanheceram no dia 8 de dezembro, sexta-feira, com mensagens e ações públicas da Omeblu, a Ordem dos Ministros do Evangelho de Blumenau – Omeblu. Com panfletos, cartazes, balões a organização promoveu o Dia Nacional da Família, segundo eles constituída exclusivamente por homem e mulher. No mês passado outdoors colocados pela mesma entidade reforçavam a ideologia de gênero binária: homem e mulher, com base na Bíblia.
 
A maior parte da intervenção pública foi realizada em Blumenau, onde moram a maioria dos membros da organização, algum deles parte do governo municipal, como o vice-prefeito da cidade. Os balões que ocupavam os espaços públicos da cidade como praças e parques traziam os dizerem “Família, projeto de Deus, “Deus abençoe sua família” e “8 de dezembro – Dia Nacional da Família”. No total foram 11 mil bexigas espalhadas na noite de 7 de dezembro por mais de 180 voluntários do movimento. A iniciativa teve autorização ainda do governo municipal e causou ojeriza em parte da população por sujar os espaços públicos e promover a segregação.
 
Em novembro, a Omeblu espalhou outdoors pela cidade com os mesmos dizeres e acrescentando que família é a instituição formada por homem e mulher. A campanha evangélica aconteceu também nas cidades de Gaspar, Indaial e Timbó. Os outdoors espalhados no mês passado diziam “XX e XY – uma questão de genética. Família projeto de Deus”, sugerindo que famílias LGBT não obedecem a determinação biológica e portanto não são legítimas. 
 
O pastor da Omeblu, Haroldo Kuzma, alegou que a ação é uma simples declaração de amor à família e que não foi pensada em detrimento dos LGBT. “Nós nunca pensamos em exclusão, cada um expõe o seu modo de pensar. Nós respeitamos sempre, cada pessoa é livre para escolher seus caminhos. Mas família, por mais que existam famílias diferenciadas hoje, todas elas sempre vão ter origem numa família que é formada conforme esse padrão (homem e mulher). A gente crê nas escrituras, na verdade de Deus”, afirmou um dos 70 líderes religosos da Ordem dos Ministros do Evangelho de Blumenau.
 
Em contrapartida ao movimento da organização evangélica, o Coletivo LGBT Liberdade realizou o ato “Somos Família”, no mesmo dia da intervenção da Omeblu. A ação aconteceu às 19 horas em frente à prefeitura de Blumenau, com balões coloridos. “Temos famílias que são dirigidas apenas por mães, outras que são os avós que cuidam, temos arranjos familiares homoafetivos. Ou seja, é uma mensagem de ódio”, explicou Lenilso Silva, gay e negro, coordenador do LGBT Liberdade, e vereador pelo PT em razão de um rodízio do partido que promoveu o terceiro suplente ao cargo de forma histórica. 
 
Segundo a Prefeitura de Blumenau, a ação da Omeblu tem autorização de ser realizada no parque Ramiro Ruediger e na praça Biergarten, também conhecida como praça da Prefeitura. A administração informou que uma vez que não visa vantagem comercial, a ação tem a legitimidade para atuar em espaços público. No entanto, antes do evento com os balões e outdoors, o secretário de comunicação, Marcelo Althoff, disse que a prefeitura não foi notificada sobre a intervenção da Omelu, mas que manteria os balões por não se tratar de evento comercial. 
 
 
Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS