Arquivo

“O Outro Lado do Paraíso”: Suzy flagra Samuel com Cido e revela a todos a homossexualidade do marido

Redação Lado A 10 de Janeiro, 2018 21h58m

COMPARTILHAR

TAGS


Uma das cenas mais aguardadas da teledramaturgia brasileira está para acontecer nesta quinta-feira (11). Na novela “O Outro Lado do Paraíso”, trama das 21 horas da Rede Globo, Samuel (Eriberto Leão) será flagrado com seu amante Cido (Rafael Zulu) em um apartamento onde os dois têm encontros amorosos. 

Caracterizado com calcinha, maquiagens e roupas sensuais, Samuel se jogará aos pés da enfermeira Suzy (Ellen Roche) com quem é casado há mais de dez anos, e implorará para a moça não o agredir ou contar a todos o que viu. “Minhas calcinhas! Eu te mato! Meu marido é gay, meu marido é gay!”, esbravejará a esposa. 
 
O flagra faz parte do plano de Clara (Bianca Bin) para que Suzy descubra a traição do marido.  Na primeira fase da novela, Samuel assinou um atestado de demência que levou Clara a ser internada contra a sua vontade em um hospício. Para se vingar do psiquiatra, a personagem convidará a enfermeira Suzy para tomar um lanche durante o seu plantão. Diante da recusa de Suzy, o médico e parceiro de Clara, Renato (Rafael Cardoso) libera a enfermeira para sair. 
 
Dias antes da execução do plano, Renato havia subornado a recepcionista do prédio em que o casal Samuel e Cido se encontram, para pegar uma cópia da chave do apartamento. Clara afirma que precisa passar na casa de uma amiga e convida Suzy para acompanhá-la. Sem nenhuma cerimônia, Clara abre a porta do apartamento e Suzy flagra seu marido com o amante Cido. Além de atacar o marido com ofensas e tapas, a enfermeira também vai para cima do amante dele “Toma também. Bicha! Bicha! Bichas!”, grita. 
 
Nas próximas cenas, o psiquiatra Samuel fará um acordo fianceiro com Suzy para que ela mantenha o ocorrido em segredo, no entanto, Clara influenciará a moça a desistir do combinado. No hospital, quando Samuel se dirigir à Suzy de maneira irônica e formal, acreditando que o acordo ainda estará valendo, a enfermeira dirá a todos a verdadeira identidade do ex-marido.

“Tigresa, tigrete! Meu marido é gay! Meu marido é gay! Gay, gay! Meu marido é gay! Esse ser, esse ser que vocês tão vendo, casou comigo só pra ter uma fachada. Eu, boba, nem desconfiava. Mas peguei ele de calcinhas com om outro homem. O pior de tudo é que usava minha calcinha. Minha! É, ele roubava minhas calcinhas. Botava batom. É uma bilu bilu. Eu casei com uma bilu bilu“, gritará para que todo o hospital ouça. “Esse ser vivia no armário. O pior é que demitiu o doutor Mariani. O radiologista, lembram? Porque era gay. Além de tudo, ela é má. Maléfica. É um gay com horror a gay. O tipo mais falso, mais amargo, que pode existir. Eu casei com um tigrão que era tigrete“. 

 

 
Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS