Arquivo

Solar do Barão tem duas exposições LGBT que você não pode perder

Redação Lado A 05 de Janeiro, 2018 00h24m

COMPARTILHAR

TAGS


A obra LGBTFOBIA/CALENDÁRIO está exposta no Solar do Barão até fevereiro de 2018. A mostra de autoria de Eduardo Barbosa é uma coleção de isogravuras, técnicas que usam uma superfície como molde de um desenho a ser impresso no papel ou outro material. O trabalho aborda os casos de LGBTfobia que causaram mortes violentas no Brasil. Em cada imagem, que ocupam duas paredes inteiras, há o nome e a legenda de como a pessoa foi assassinada.

Segundo informações do Grupo Gay da Bahia e Transgender Europe, o Brasil é o país que mais mata LGBT no mundo. Só em 2017 foram registradas mais de  335 mortes de lésbicas, gays, bissexuais e trangêneros no país.  O trabalho de Eduardo Barbosa tem com base os dados disponíveis no site “Quem a Homofobia Matou Hoje”, que reúne diversos casos de morte por LGBTfobia. Em média, um LGBT é morto a cada 25 horas. 

São diversas gravuras em preto e branco manchadas em vermelho para simbolizar as mortes que em sua maioria são extremamente violentas e cruéis. Cada gravura leva as iniciais de um LGBT morto no Brasil, com a data do ocorrido, idade, orientação sexual e local do assassinato, formando um calendário dessas mortes. 
 
O trabalho LGBTFOBIA/CALENDÁRIO faz parte das exposições da CUBIC 3, o Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba. A curadoria da mostra é dos artistas Stephanie Dahn Batista, Iuska Wolski e Isadora Matiolli. A mostra da Bienal também apresenta trabalhos de outros artistas como Jordi Tasso, de Porto Alegre, Marcellen Neppel e Gabriel Alárcon, da Argentina. 
 
Guerrilhas Girls 
Outra exposição social e igualmente interessante na Bienal é a Guerrilha Girls. A mostra reúne artistas ativistas feministas que com humor e máscara de gorila expõe gênero aliado às questões étnicas e culturais. A corrupção, política, cinema e cultura pop é abordada através do anonimato proporcionado pelas máscaras, que mantém o foco nas questões a serem debatidas e desconsidera a identidade das artistas. As Guerrilhas Girls disseminam o feminismo interseccional, ou seja, abrangem a igualdade entre qualquer identidade de gênero, etnia e classe social. 
 
As exposições LGBTFOBIA/CALENDÁRIO e Guerrilhas Girls estão em cartaz até dia 25 de fevereiro no Museu da Gravura, localizado dentro do Solar do Barão. O Endereço é Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro de Curitiba. O horário de funcionamento do Solar do Barão é das 9h às 12h e 13h às 18 (3ª a 6ª feira) e 12h às 18h (sábado, domingo e feriado). A entrada é franca. 
 
Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS