Aliança Nacional LGBTI publica nota de repúdio contra fake news sobre pedofilia

Redação Lado A 17 de Julho, 2018 12h59m

COMPARTILHAR

TAGS


Nos últimos dias começou a circular nas redes sociais uma fake news sobre a sigla LGBTI. Trata-se da inclusão da letra P junto às outras letras que representam o movimento. A letra P foi associada à “pedosexual” e disseminada na internet como se a comunidade LGBTI concordasse com a pedofilia. Aproveitando a oportunidade de desqualificar a luta LGBT, personalidades conservadoras como Carlos Bolsonaro espalharam a mentira.

Em um post no Twitter, Carlos Bolsonaro compartilhou uma imagem com a sigla LGBTI e o significado de cada letra. Ao final da sigla, estava incluído a letra P, associado por ele com a pedofilia. Não é a primeira vez que grupos anti-LGBT tentam espalhar fake news sobre a comunidade. Desde 2016 a mesma imagem compartilhada por Bolsonaro está nas redes sociais e inúmeras fontes já desmentiram a postagem. Trata-se de uma tentativa de desmoralizar a comunidade LGBT lançada ainda em 2016. Inclusive, alguns perfis fakes foram criados para endossar a mentira.

Com a volta do assunto às redes sociais, em meio à tanta repressão contra a comunidade LGBTI, não há mais espaço para mentiras. A postagem de Bolsonaro, por exemplo, conseguiu milhares de compartilhamentos e usuários que acreditaram na publicação. Já outros, tentaram esclarecer os fatos, embora muitos seguidores do conservador Bolsonaro prefiram acreditar na mentira. A família Bolsonaro é muito famosa no Brasil por seus discursos preconceituosos e LGBTfóbicos. Assim, disseminam uma grave ameaça aos direitos humanos.

Nota de repúdio

Diante da enxurrada de mentiras que tentava mais uma vez desmoralizar a comunidade LGBT, a Aliança Nacional LGBTI emitiu uma nota de repúdio. Assinada pelo diretor Toni Reis, pelo Coordenador Estadual de Minas Gerais Gregory Souza e pelo advogado Marcel Jeronymo, a nota visa desmentir as fake news.

“Visando trazer esclarecimento a todos e todas, a Aliança Nacional LGBTI+ reitera seu total repúdio a quaisquer práticas sexuais derivada do transtorno mental doentio de pessoas adultas que envolve crianças. A Aliança reafirma, ainda, seu papel no enfrentamento da exploração sexual infantil.”, diz a nota.

O documento demonstrou ainda que os movimentos contrários à comunidade LGBT têm o direito de se posicionar. Por outro lado, não é honesto que abram espaço para mentiras. Esses boatos prejudicam diretamente a luta da comunidade LGBT que já é árdua por motivos históricos de discriminação.

Por fim, a nota apresenta a possibilidade de a letra P contemplar os pansexuais, isto é, pessoas que se relacionam com outras pessoas independente de identidade de gênero. Sendo assim, a letra P está na sigla tão somente para representar uma expressão de sexualidade que nada tem a ver com pedofilia, repudiada expressamente.

 

Veja a nota de repúdio aqui. 

Confira a postagem de Carlos Bolsonaro

 

 

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS