Rádio de Santa Fé do Sul é notificada pelo MPF após veicular conteúdo homofóbico

Redação Lado A 06 de Novembro, 2018 15h56m

Uma rádio de Santa Fé do Sul, em São Paulo, foi notificada pelo Ministério Público Federal (MPF) após veicular conteúdo homofóbico. Durante e exibição da novela “O Outro Lado do Paraíso” em que havia um casal gay que se beijou no final da trama, um radialista fez comentários sobre a cena. Entre as manifestações infelizes estavam menções sobre a morte de homossexuais.

Ao comentar a novela, um dos radialistas da Rádio Santa Fé disse que o ator Paulo Zulu, por ser negro, não devia se sujeitar ao papel de um homossexual. Segundo o comunicador, o ator deveria zelar pela imagem dos negros. A cena foi ao ar ainda em maio de 2018 entre os atores Eriberto Leão e Paulo Zulu.

Além de falar sobre os atores, o radialista ainda incentivou a morte de homossexuais. “A gente não pode falar que tem que matar no ninho que é crime (risos), mas que tá crescendo demais, tá. É uma viadada demais.”, disse. Em outro comentário, ele falou novamente sobre a comunidade LGBT com violência.”Vai chegar uma hora que nós vai ter que provar que a gente é hétero. Vai chegar uma hora que cê vai ter que matar um para falar ‘meu filho não’”. O radialista também manifestou mais preconceito ao dizer que sente nojo de homossexuais. “Até onde a gente vai ter que ver esse nojo, pra mim é nojo. A partir do momento que você se expõe a um fato que não é normal para a maioria, eu tenho nojo de ver um negócio desse”, afirmou.

MPF

Para o Ministério Público Federal, a atitude do locutor foi preconceituosa e discriminatória. Além disso, o comunicador ofendeu os próprios ouvintes ao xingar quem assiste a novela ou viu a cena do beijo gay.

De acordo com a orientação do MPF, a rádio deve se retratar transmitindo conteúdos de interesse da comunidade LGBT. Durante 30 dias, essas transmissões devem promover o respeito e ajudar no combate à homofobia. A partir da primeira notificação, realizada no início deste mês, a rádio tem até 45 dias para cumprir as recomendações.

Os conteúdos veiculados serão produzidos pelo Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT do Rio de Janeiro. As transmissões deverão ser feitas das 7h às 19h entre a programação normal da rádio. A emissora não se posicionou sobre o caso.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS