Google é criticado por manter aplicativo de “cura gay” na Play Store

Redação Lado A 16 de Janeiro, 2019 15h57m

 

Um aplicativo está sendo motivo de críticas ao Google. Trata-se da criação do grupo cristão Living Hope Ministries que o Google disponibilizou em sua plataforma de downloads, a Play Store. O aplicativo aconselha que jovens e adultos LGBT a procurem terapia de reversão sexual. O mecanismo disponibiliza orientações através de passagens bíblicas.

sistema foi criado pelo grupo cristão norte-americano Living Hope Ministries, que também tem um aplicativo próprio na Play Store. O aplicativo criticado, que defende terapias de reversão sexual, se refere aos LGBTs como depravados. Além disso, com relação às pessoas trans, o app insinua que elas são “farsas”. A comunidade LGBT, dentro desse sistema, foi retratada como vício, doença, pecado e outros termos depreciativos.

A ONG americana Truth Wins Out se posicionou contra o aplicativo e fez uma petição online para que o Google banisse o sistema da Play Store. De acordo com a organização, o aplicativo é “horrível” porque compara a homossexualidade ao vício. Além disso, a ONG considera que o app distorce a imagem da comunidade LGBT associando-os com estilos de vida depreciativos. Para a Truth Wins Out, o aplicativo representa um grande perigo para pessoas com tendências depressivas e suicidas.

Em contrapartida, a Living Hope Ministries disse que as alegações da Truth Wins Out são inverídicas. Segundo o grupo cristão, o aplicativo tem como objetivo estreitar as relações de seus usuários com Jesus Cristo. Um porta-voz da organização disse ainda que eles amam os homossexuais e que ficaram tristes com o boicote ao aplicativo.

Críticas

Diante das inúmeras críticas, outras plataformas como Amazon, Apple Store e Microsoft retiraram imediatamente o aplicativo do ar. O único que não se manifestou contra o sistema foi o Google, por isso, virou alvo de inúmeras críticas. A petição publicada pela Truth Wins cita o Google ao fazer uma grande crítica sobre a irresponsabilidade da empresa em deixar o aplicativo na Play Store.

Mesmo alegando que a ONG Truth Wins Out está distorcendo o objetivo do app, Rycky Chellete fez declarações controversas. O membro do grupo Living Hope Ministries disse que nos anos de 1980 chegou a se atrair por homens, mas que sua vida foi mudada porque teve um relacionamento mais aproximado com Deus. Ele disse que o grupo tenta ajudar as pessoas em “conflito com sua fé e sentimentos”.

A declaração levantou ainda mais comentários sobre o objetivo de “cura gay” do app. Por isso, as constantes críticas ao Google também sustentam que manter o app na loja online vai contra as propostas de inclusão tão defendidas pela Google. Até agora, a petição já alcançou mais de 38 mil assinaturas e o objetivo é chegar em 50 mil.

Door of Hope

Não é a primeira vez que grupos religiosos criam mecanismos para promover a “cura gay”. Em 2013 foi disponibilizado para download o aplicativo Door of Hope, que prometia ao usuário “se livrar” da homossexualidade em até 60 dias. Tal como o app do Living Hope Ministries, o Door of Hope usava de passagens bíblicas para “convencer” o indivíduo gay de que ele tinha algum distúrbio ou doença.

Da mesma forma que a Truth Wins Out, organizações LGBT fizeram uma petição online que conseguiu milhares de assinaturas em poucas horas. Diante das críticas, mais uma vez, a Apple retirou imediatamente o aplicativo de sua loja. O Google, no entanto, relutou em retirar o sistema, assim como acontece com o app do Living Hope Ministries.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS